Hiroshi Bogéa On line

Conselhos nacionais ambientais reúnem em Marabá

Marabá sediou a reunião conjunta dos Conselhos Consultivos da Floresta Nacional do Tapirapé – Aquiri – FLONATA e Reserva Biológica do Tapirapé – REBIOTA, promovida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

Evento ocorreu no polo da Universidade Estadual do Pará – UEPA e contou com a presença de conselheiros, autoridades e convidados em geral.

Na oportunidade foram discutidos assuntos de interesses locais e regionais, com ênfase no uso sustentável dos recursos naturais das Unidades de Conservação do Mosaico Carajás.

Já na abertura do evento fez – se menção aos trâmites legais em andamento para criação de uma nova unidade de conservação no Mosaico – O Parque Nacional Campos Ferruginosos de Carajás.

A elevada importância da área foi enfatizada por meio da ilustração de espécies endêmicas a conservar e do seu potencial turístico.

Os programas implantados com as comunidades do entorno da FLONATA e da REBIO foram apresentados, dando – se ênfase aos desafios enfrentados e vencidos durante o ano de 2016 e nas expectativas para o ano de 2017.

Estiveram na pauta o Programa de Agroextrativismo da FLONATA, os Programas de Monitoramento da Biodiversidade, Protagonismo Juvenil na REBIOTA e educação ambiental em ambas as unidades. Estes foram alvos de debates entre os presentes.

O Gestor da FLONA do Tapirapé Aquiri André Macedo destacou que entre os principais objetivos de tais programas estão o estímulo às ações sustentáveis por parte das comunidades, com consequente diminuição da pressão sofrida pelas unidades de conservação.

A geração de renda e a melhoria significativa na qualidade alimentar e de vida dessas populações são ganhos consideráveis.

Ao final dos debates os participantes prestigiaram a formatura da primeira turma de monitores voluntários do Programa Comunidade vai a FLONA de Marabá, que culminou com atrações culturais locais, em um momento ímpar de socialização entre diferentes setores do poder público, da sociedade civil e setor privado.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *