Conheça a lista dos emagrecedores naturais proibidos pela Anvisa e suas consequências à saúde

A morte da enfermeira Mara Abreu por uma hepatite fulminante após consumir o composto ’50 Ervas’ na última sexta-feira, 4, acendeu o alerta no país.

O  composto ’50 Ervas’, apontado como medicamento emagrecedor, está na lista de remédios proibidos pela Anvisa desde 2020.

Está proibido, mas  a popularização do e-commerce no Brasil vem facilitando  encontrar quase qualquer coisa à venda na internet, incluindo produtos proibidos pela agência e ervas naturais que embora pareçam não fazer mal, podem causar problemas graves de saúde.

A agência alerta que qualquer produto com propriedades terapêuticas precisa ser autorizado pela instituição reguladora antes de ser comercializado no Brasil, e sua venda só pode acontecer em farmácias e drogarias mesmo se o remédio for feito à base de ervas.

Uma nota da Anvisa  declara: “Desconfie de produtos com promessas milagrosas, que prometem emagrecimento fácil ou qualquer outro tipo de ação de tratamento, cura ou prevenção de doenças. Todo produto com ação terapêutica precisa estar regularizado na Anvisa como medicamento”,.

A agência destaca que mesmo sendo um composto natural, esse tipo de fórmula pode ser perigosa para o organismo e causar problemas de saúde devido a riscos como a mistura de algumas ervas ser tóxica e também devido a falta de controle sobre o que está dentro da embalagem, já que não há segurança sobre a quantidade ingerida de cada um dos ingredientes.

Logo, nas cápsulas com 30, 50 ervas, há um alto risco de muitas substâncias presentes no medicamento ter as mesmas funções, o que pode sobrecarregar o fígado e os rins na tentativa de absorver os nutrientes.

Confira a seguir a lista completa de medicamentos proibidos pela agência