Hiroshi Bogéa On line

Confiança na disputa

Depois da goleada de 4 x 0 para o Atlético-GO ( a segunda com o mesmo placar), começam a surgir questionamentos se o elenco do Águia chegou ao limite de suas potencialidades ao enfrentar equipes melhores preparadas no Octogonal .

Na opinião do blogger, o grande problema do time marabaense são as características de seus jogadores voltadas sempre para fazer gols, descuidando de proteger-se. O próprio João Galvão é defensor da tática do quanto mais atacar, melhor.

Numa fase em que o nível dos times em disputa é mais elevado, e a equipe aguiana carece de alguns valores em pelo menos três posições, jogando em estádio adversário, valeria a pena fechar bem o meio campo, e, efetuar ataques nos momentos propícios à rapidez de seus atacantes.

Além de não somar três pontos, perder de goleada fará a diferença na definição dos quatro classificados à Série B, considerando todos nivelados matematicamente.

Jogando fora, todos sabem disso, empatar é o melhor dos resultados.

Sábado, em Belém contra o Confiança, uma vitória convincente recoloca o time no patamar das boas probabilidades.

Post de 

2 Comentários

  1. Anonymous

    10 de outubro de 2008 - 14:27 - 14:27
    Reply

    Discordo do Leo. O time do Águia não jogou bem, ou melhor não jogou.
    Batalhas se perdem e dos erros se tiram lições.
    O nosso time tem qualidades e continuo acreditando em uma ótima colocação nesta fase final.
    Certamente o resultado do jogo de amanhã será diferente, ou pelo menos torço para que isto aconteça.

    El Cid

  2. leo vitor

    9 de outubro de 2008 - 20:58 - 20:58
    Reply

    Acho que a goleada nasceu da falha do goleiro reserva no segundo gol (nos acrescimos) o que deixou a equipe insegura. O setor direito da defesa está fraco e virou uma avenida. Dois gols sairam por este setor.
    Acho que o Galvão tem mesmo é que arriscar e partir para o ataque e com isto tentar ganhar os jogos sem medo.O time já chegou longe e agora é franco-atirador mesmo. Força Águia !!!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *