Hiroshi Bogéa On line

Condenação a Bernadete

A condenação imposta pela Justiça Federal a deputada estadual Bernadete ten Caten (PT), por improbidade administrativa, à suspensão dos direitos políticos dela pelo prazo de cinco anos, alcança também mais três réus: Paulo Treviso, que foi seu assessor na Superintendência do Incra no Sul do Pará; Antonio Dias Leite, Leite Santos Eventos e Locações de Equipamentos Ltda, Paulo Gondin Leal e Eventum Planejamento Ltda.

Post de 

19 Comentários

  1. Anonymous

    4 de novembro de 2009 - 03:26 - 3:26
    Reply

    Eu como muitas pessoas, tambem acreditei na moralidade de Bernadete…sempre acompanhei seu trabalho bem de perto, mas depois que ela apoiou os invasores do bairro da paz(fazenda da lucinha, do loteamento bom palnalto), falando alto e em bom tom: "podem construir,que a governadora esta do lado de vcs,assim como eu".
    Isto e de indignar qualquer pessoa; como pode uma mulher guerreira,tão revestida de valores morais e éticos, incentivar uma invasao em um loteamento que existe;loteamento este, que já possui vários lotes vendidos; trabalhadores que suaram para conseguir pagá-los, na busca da casa própria, têm seus sonhos destruídos pela deputada, que naquele momento so enchergava eleitores em sua frente.
    Nesta busca de votos, ela acabou destruindo não só o sonho de muitos, como também a esperança de ainda existirem políticos confiáveis neste BRASIL.
    Que pena Deputada!!!
    Mas vc ainda pode mudar esta imagem…ajudar a amenizar o estrago…faça com que a liminar seja cumprida…conseguindo a liberação da força polical para tanto.
    Eu como muitos, ainda podemos voltar a confiar em vc…

  2. Anonymous

    3 de junho de 2008 - 00:20 - 0:20
    Reply

    Só os que esperam algo acreditam no PT, m4esmo sabendo que todos sabem da mentiras e abusos cometidos.

  3. Paulo

    16 de dezembro de 2007 - 17:23 - 17:23
    Reply

    A DEPUTADA É MULHER DE VISÃO FUTURÍSTICA, SE PREOCUPA COM O POVO DO SUDESTE DO PARA, A VEZ É NOSSA DA BUSCA DE MELHORIA PARA UM POVO SOFRIDO E OPRIMIDO. É UMA MULHER COMPETENTE,SÉRIA,EDUCADA, VIVA TEN CATEN E VIVA O PT.VIVA NOSSA GOVERNADORA ANA JULIA.

    ANONIMA

  4. Anonymous

    12 de maio de 2007 - 01:35 - 1:35
    Reply

    CARO HIROSHI BÓGEA,
    PRIMEIRAMENTE GOSTARIA DE DIZER, QUE MUITO ME ESTRANHA A FORMA QUE SEU BLOG DEU DESTAQUE A ESTA DECISÃO DE PROCESSO,ME PERGUNTO QUE INTERRESE SE TEM DE TAMANHO DEBATE! JÁ É ELEIÇÃO DE 2008!
    QUERO ACREDITAR QUE APARTIR DESTE FATO ESTE BLOG TEM MUDADO TEM POSTURA E ATITUDE. OU VAI TER LADO HIROSHI, É A….!!!!
    ACREDITO NA COMPETÊNCIA E HONESTIDADE DA DEPUTADA.

  5. Anonymous

    10 de maio de 2007 - 16:52 - 16:52
    Reply

    A deputada e ex-professora é de uma frieza que poucos conhecem. Oposto do maridão, que costuma agir de acordo com os impulsos. Mas mesmo assim ele não é flor que se cheire. O pessoal da Sepof que fique esperto, cedo ou tarde, o casal aprontará para cima do Carlos Guedes. É só aguardar.

  6. Anonymous

    10 de maio de 2007 - 15:46 - 15:46
    Reply

    Quem é do PT sabe. Sempre que há necessidade de se levantar grana para a tendência PT PRA VALER fazer alguma coisa, a Bernadete não pensa duas vezes. E diz: – Chama o Antonio Leite.
    “Santinha” a TEN CATEN.

  7. Anonymous

    10 de maio de 2007 - 11:39 - 11:39
    Reply

    hiroshi que debate interessante!
    Fazia um tempo que não lia o blog e o negócio tá pegando fogo.
    Somente numa sociedade que ainda se quer “democrática” é possivel o confronto de opiniões, o debate, que alguns ainda temem em descer a níveis menos elevados.
    Dá-lhe TEN CATEN!!!
    JOÃO CARNEIRO

  8. Anonymous

    9 de maio de 2007 - 23:09 - 23:09
    Reply

    Engraçado. A Justiça é reacionária.Todo mundo tá errado. Mas a empresa que ganhou a licitação fraudulenta foi montada três meses antes da licitação. O dono da empresa? Antonio Leite.O mesmo que foi indicado pela Bernadete pra chefiar o Setran de Marabá, que mexe com muito dinheiro. É muita coincidência. É muito reacionarismno dessa direita empedernida contra a “honesta” deputada.

  9. Anonymous

    9 de maio de 2007 - 22:36 - 22:36
    Reply

    QUEM CONHECE A TRAJETÓRIA DA PROFESSORA, SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO, SUPERITENDENTE DO INCRA DA NOBRE DEPUTADA, SABE QUE A DIREITA REACIONÁRIA DO SUL E SUDESTE DO PARÁ, BALIZADA NAS ENTRANHAS DOS PODERES EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO JAMAIS ADMITIRÃO AS CONQUISTAS EM PROL DOS TRABALHADORES RURAIS DA NOSSA REGIÃO CONSEGUIDAS PELA DEPUTADA ESTADUAL BERNADETE EM TODOS SEU HISTÓRICO. E NA AÇÃO EM QUESTÃO NEM SEQUER RESPEITAM O ESTADO DE DIREITO QUE PRESUME A INOCÊNCIA DE QUALQUER CIDADÃO OU CIDADÃ ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO.

  10. Alessandro

    9 de maio de 2007 - 20:41 - 20:41
    Reply

    Não temos dúvida que a forte ação moralizadora e de combate à corrupção implementada por Bernadete Ten Caten em sua gestão a frente do Incra tenha sido alvo de diversas denúncias apócrifas e caluniosas, resultando hoje em dois processos, os quais responde.

    Não é a toa que a deputada tenha recebido ao final de sua gestão inúmeros depoimentos de gestores públicos da região, trabalhadores rurais, assentados ou não, grandes e médios produtores rurais, dentre outros segmentos, todos unânimes em parabeniza-la pela mudança positiva no órgão, sobretudo em relação à probidade administrativa.

    Em todas as gestões anteriores a SR 27 do Incra recebia a fiscalização da Controladoria do órgão de Brasília que relatava a licitude e regularidade dos procedimentos e processos administrativos sob responsabilidade do órgão.

    É importante lembrar que durante a gestão de Bernadete Ten Caten, mais de 4.500 (quatro mil e quinhentos) lotes da Reforma Agrária foram recuperados, tanto judicial quanto extrajudicialmente, de ocupantes irregulares não clientes da Reforma Agrária, sendo redestinados para agricultores familiares, os que vendiam lotes, por sua vez, passaram a ser excluídos do programa em qualquer parte do país. Ação esta que a colocou sob ameaça de morte.

    Ao longo de três anos o INCRA administrou aproximadamente um bilhão de reais, ao mesmo tempo em que o patrimônio pessoal e familiar de Bernadete Ten Caten não sofreu alteração alguma, conforme declarado à Justiça Eleitoral quando desincompatibilização do cargo de superintendente, à Receita Federal quando da Declaração do Imposto de Renda, bem como na declaração de bens apresentada à Assembléia Legislativa quando de sua posse como deputada. Vale ressaltar que contra essas declarações não há nenhuma observação ou questionamento administrativo ou mesmo judicial.

    Segundo palavras da própria Deputada “Tenho orgulho de ter constituído uma equipe técnica competente e, com o apoio irrestrito do órgão central ter construído um enorme avanço quantitativo e qualitativo na Reforma Agrária do Sul e Sudeste do estado no período (2003 a 2006). Disso são exemplos: a criação de 112 novos Projetos de Assentamento com a inclusão de mais de 21.000 (vinte e uma mil) novas famílias no programa; a destinação de mais de 200.000 (duzentos mil) hectares de área pública grilada para assentamentos; a construção de 18.000 (dezoito mil) casas com sanitário para famílias assentadas; a inclusão de jovens e adultos na educação através do PRONERA com vários cursos de nível médio e superior num investimento de aproximado de 6 (seis) milhões de reais; um investimento aproximado de 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais) na recuperação e abertura de estradas e pontes nos assentamentos; a contratação de 311 técnicos de nível médio e superior para a prestação do serviço de Assessoria Técnica Social e Ambiental junto aos assentados, dentre outras ações”.

    Em relação à matéria divulgada pela imprensa alegando improbidade administrativa na sua gestão no Incra, Bernadete diz respeitar a decisão do juiz discordando, porém, profunda e indignadamente do critério de julgamento utilizado. Alega que:

    1. Não há prova alguma nos autos de fraude à Lei de Licitações e nem induzimento à empresa vencedora;
    2. O pregão eletrônico foi publicado na forma da Lei, oportunizando o direito de qualquer empresa poder participar do certame;
    3. “Desconhecemos, causando-nos total surpresa, a versão truncada que aparece nos autos, de uma empresa do Paraná de que teria perdido o pregão”;
    4. O relato das testemunhas nos autos não prova nada quanto à suposta conduta irregular dos denunciados;
    5. O Juiz relata não ter havido prejuízo ao erário público;
    6. O juiz relata não ter havido prejuízo à administração;
    7. Como então caracterizar crime?

    A conclusão judicial, segundo a Deputada se restringe à formalidade dos autos, sem comprovações. A interpretação do juiz, segundo ela, é subjetiva quando o mesmo diz acreditar não ter havido tempo suficiente entre a realização do pregão (Licitação) e a colocação dos standes para a Feira da Agricultura Familiar. O Juiz alega também retardamento do processo licitatório com o intuito de beneficiar certa empresa quando, na verdade, o prazo exíguo se deu em função do atraso da sinalização do recurso orçamentário para o deslanche do processo.

    A deputada afirma estar entrando com recurso em instância superior com a firme convicção de vitória.

    Alessandro Bulhões
    Chefe de Gabinete da Dep. Bernadete
    Contato:
    (91) 9114 4025
    (91) 3212 0915
    (94) 915466 82

  11. Anonymous

    9 de maio de 2007 - 15:11 - 15:11
    Reply

    Quem conhece as entranhas do PT sabe o que essa turma da Bernadete é capaz. Vocês vão ver a arruaça que o Antonio Leite vai fazer na Setran. Vai ser até divertido.

  12. Anonymous

    9 de maio de 2007 - 02:45 - 2:45
    Reply

    Senhor Hiroshi e Senhor Quaradouro, evidentemente não quero acreditar, mas voces dois se colocaram de forma acintosa formalizando a defesa de uma politica que acaba de ser condenada. Em primeira instância ja houve a condenação. Quais os interesses de ambos em defender essa deputada que tantos males tem feito ao povo da regiao? Estão na sacola ou no kit familia da parlamentar? Se estiverem, voces que sempre representaram a crença de que há pessoas sérias na imprensa do Sul do Pará, perderam a credibilidade. Não merecem nossa confiança. Quem está em caixinha de esquema político, deve ser julgado pelos leitores.

  13. Quaradouro

    8 de maio de 2007 - 22:41 - 22:41
    Reply

    Evidentemente, da sentença cabe recurso – de sorte que a deputada Bernadete pode provar sua inocência. Seu histórico é de relevantes serviços prestados ao município de Marabá, como professora, secretária de Educação na administração Haroldo Bezerra e vereadora competente.
    Quando Bernadete assumiu a gestão fundiária, o que era um simples posto avançado do Incra transformara-se na SR-27 (Superintendência Regional) que é até hoje, com a mesma estrutura precária dos primeiros tempos; ou seja, multiplicou-se a abrangência da sua jurisdição mas tudo permaneceu como antes, no quartel de Abrantes: sem transporte, sem funcionários suficientes para a envergadura das novas responsabilidades.
    Muito antes de assumir, Bernadete foi hostilizada por setores do segmento agrário, que tentavam plantar na Superintendência o nome de João Batista, advogado do movimento pela reforma agrária.
    Lembro-me que MST e Fetagri chegaram a acampar na sede provisória do Incra (na Folha 33, ao lado da Celpa, porque a sede na agrópólis estava em reformas), mas ela sobreviveu. na volta a seus assentamentos e acampamentos, um grupo dos insatisfeitos invadiu uma fazenda e disse que seguia ordens de Bernadete, que, inclusive, liberara óleo diesel para o transporte das famílias.
    Tudo orquestrado, naturalmente, mas Bernadete sobreviveu.
    Atirada à arena (ou circo) da luta pela terra, num órgão de gestão burocrática e que vai ao sabor da maré, por falta de uma política de vanguarda para a ocupação da terra, Bernadete enrolou-se, parece-me, inclusive ao convidar para assessorá-la militantes que, pouco depois, foram acusados de tirar proveito da bagunça, à sua revelia mas em seu nome.
    Sua condenação, em primeira instãncia, deve ser uma decorrência desses fatos.
    Vamos dar-lhe um voto de confiança.

  14. Anonymous

    8 de maio de 2007 - 21:27 - 21:27
    Reply

    Eu acompanhei a gestao da Bernadete no Incra. De longe, porque não era ligada ao gabinete ou próximo a gente de confiança dela. Só quem a conheceu na repartição pode avaliar o quanto ela é esperta. Sempre colocava os dois citados na sentença, Antonio Leite e o Paulo Treviso para irem na linha de frente. Como se diz, os “bois de piranha”. Coitados, vão pagar pelo que não devem.

  15. Anonymous

    8 de maio de 2007 - 21:03 - 21:03
    Reply

    Sentença condenatória? Como diz o adágio: Contra fatos não há argumentos. E como diz o PT: Isso é fato, isso é verdade.

  16. hiroshi

    8 de maio de 2007 - 18:35 - 18:35
    Reply

    O comentário acima foi excluído pelos seguintes motivos:

    1- Desrespeito a honra da deputada estadual Bernadete, que até prova em contrária tem exercido sua carreira política com dignidade e respeito à populaçào da região Sul do pará;
    2- Este blog refuta qualquer tipo de acusação sem assinatura do autor do comentário.
    3- As denúncias feitas no comentário acima contra a deputada não comopõe a Ação Civel de Improbidade Administrativa setenciada pela Justiça Federal como quis fazer crer o anônimo comntarista;

  17. Anonymous

    8 de maio de 2007 - 16:48 - 16:48
    Reply

    Concordo com a anonimo acima.A maior prova da cpompetencia do INCRA é a situação fundiária da região.
    O juiz federal é de direita também.
    E a direita está no poder, Lula na frente.

  18. Anonymous

    8 de maio de 2007 - 16:07 - 16:07
    Reply

    HÁ UMA DOR DE COTOVELO MUITO GRANDE DA DIREITA QUE QUER A TODO CUSTO PERMANECER NO PODER ETERNAMENTE.
    ACREDITO NA LISURA EM QUE A DEPUTADA CONDUZIU O INCRA E O BENEFÍCIO EM PROL DE INÚMEROS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO SUL E SUDESTE DO ESTADO DO PARÁ DURANTE SUA GESTÃO FRENTE A INSTITUIÇÃO QUE ERA MORTA SEM RETORNO AOS SEUS VERDADEIROS DONOS.
    BERNADETE CONSEGUIU ELEVAR A DIGNIDADE E A MORAL DO INCRA E DO POVO DA REGIÃO E O TRABALHO ESTÁ EM TODOS OS MUNICÍPIOS.

  19. Anonymous

    8 de maio de 2007 - 13:53 - 13:53
    Reply

    A nobre deputada usou e abusou dos recursos sob seu mando no Incra. Essa prática era pública a notória.
    Vem em boa hora a condenação e que sirva de exemplo para os sucessores dela no Incra e demais repartições aparelhadas pelo PT.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *