Como dois e dois

Publicado em 23 de dezembro de 2009

Olhar crítico

Ninguém se interessou pelo assunto ou passou mesmo batido na blogosfera -, artigo assinado pelo deputado federal Jader Barbalho, no Diário do Pará de domingo.

“A divisão do Pará” intitula os argumentos do líder peemedebista com os quais ele defende a aprovação do plebiscito para auscultar a vontade do povo paraense quanto a criação ou não dos Estados de Carajás e Tapajós, e trás à luz dados até agora não abordados por ninguém: a distribuição do eleitorado nas três áreas interessadas.

Ora, o Pará hoje tem um pouco mais de 4,5 milhões de eleitores e o quadro com os 64 municípios que poderão formar os Estados de Carajás e Tapajós possui cerca de 1,5 milhão, restando três milhões de votantes. Isso deve favorecer uma grande disputa de convencimento”, diz, sutilmente, um dos parágrafos da matéria com a qual Jader Barbalho assina sua posição de apoio ao plebiscito.

Plebiscito que o próprio parlamentar assegura ser aplicado em todo o Estado, e não apenas nas duas regiões interessadas na divisão como tem dito alguns de seus defensores.
Jader praticamente explicita: – Ora, por que vós, direis estrelas, se apavoram tanto diante de avassaladora diferença de votantes domiciliados naquilo que poderia ser o Estado remanescente do Pará?