Com licença, vou à luta

Publicado em 18 de fevereiro de 2009

– Ai, pai, estou tão feliz! Sabe aquele emprego que eu batalhava meses na Red Bull? Consegui! Fui chamada para começar a trabalhar dia 1º de março.

Pelo celular, bem cedo, a filha lindérrima caçula do poster, radiante de contentamento, anuncia a boa nova dela. E pro pai, mistura de orgulho e preocupação.

Orgulho porque Julianna é assim, sempre foi de ir à luta buscar objetivos, desde adolescente.

Preocupação com o que esse primeiro emprego pode representar na agenda universitária do curso de Publicidade que ela conclui agora em Julho, na Unama. Bem que poderia esperar os últimos seis meses para fechar totalmente a grade curricular, até porque temos condições de pagar o caríssimo curso sem pedir divisão de qualquer esforço.

– Esquece isso, nem pensar. Saio do emprego direto pra Unama. Nem peça isso, por favor!, reage, ao ouvir pedido para dedicar-se exclusivamente à faculdade.

Pronto, não peço.

Vai menina, voa em busca de teus sonhos!