Com frentes aéreas e terrestres, polícia prende em flagrante no Sul do Pará um dos maiores responsáveis pelo desmatamento no Estado

Geraldinho (no meio da foto), como é chamado um dos maiores responsáveis pelo desmatamento no Estado do Pará, foi preso nesta quinta-feira (9), durante o segundo dia da “Operação Outsiders” ou em português, forasteiro, que remete à pessoas vindas de outros estados para atuar no desmatamento em terras no Pará.

O acusado foi preso em flagrante por crimes ambientais na Fazenda Ouro Verde, onde atua, localizada na Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu, no município de São Félix do Xingu, no sul do Pará, e conduzido à Unidade de Polícia Civil da cidade.

O investigado teve um mandado de prisão expedido no ano de 2019 e após se manter como foragido, obteve um habeas corpus, retornando para a área onde foi autuado.

Na atuação de hoje, além dele, dois funcionários da fazenda também foram autuados e vão responder por porte ilegal de arma de fogo.

A Operação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), deflagrada junto as Policias Militar, Civil e Científica, Corpo de Bombeiros Militar e Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), é integrada por cerca de 50 agentes dos órgãos envolvidos nas ações, que tiveram início na última quarta-feira, 8, pelas frentes aérea, com a utilização de três aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e terrestre.

O objetivo da operação é coibir e combater o desmatamento em áreas de responsabilidade do governo do Estado, e responsabilizar os infratores para que não fiquem impunes, e desta forma evitar novos casos de degradação ambiental. A maioria dos responsáveis pelo desmatamento na APA são oriundos dos Estados de Goiás, de onde Geraldo Daniel de Oliveira (60 anos) veio, Espírito Santo e Tocantins.

Desde o ano de 2019, quando ocorreu a primeira atuação na área, o centro Integrado de Monitoramento Ambiental (CIMAM) nunca deixou de ser feito e ao perceber que, mais uma vez, estava tendo o aumento do desmatamento em áreas vizinhas ao local já identificado como foco do desmatamento, os órgãos de fiscalização e de ostensividade agiram para conter o crime ambiental.

Geraldinho já é conhecido não só da polícia como dos órgãos ambientais, portanto já era investigado desde 2019 quando foi deferido um mandado de prisão contra ele, além de ser conhecido como um dos maiores desmatadores do Estado do Pará em especial daquela região da Apa do Triunfo, portanto a prisão efetuada hoje é importantíssima para que possamos desarticular os crimes praticados por ele naquela área. É importante ressaltar que logramos êxito não somente em encontrar os empregados dele mas o proprietário, o que muitas vezes se torna mais dificultoso, porém em razão disso, foi emitido um auto de infração pela Semas assim como foram conduzidos até a delegacia de Polícia Civil para que todo o procedimento policial fosse realizado.

“Reiteramos que a operação Outsiders segue em andamento para que a gente possa continuar a combater o desmatamento ilegal, pois antes de deslocar a gente faz um serviço de inteligência e já saímos com alguns alvos levantados tanto pela Inteligência quanto pela Semas, sabendo quem eram os principais exploradores, identificando que a maioria deles são de fora do Estado, dentre eles o Geraldinho, do Estado de Goiás. Então finalizamos o segundo dia de ações com a prisão e detectando uma nova infração por dano ambiental, ocasionando a instauração de um novo procedimento policial contra ele”, afirmou o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.

Reduções

O Pará segue um ritmo de redução do desmatamento. Neste mês de maio, a diminuição foi de 53% em terras de responsabilidade do Estado, ao comparar o mesmo mês do ano anterior.

Os dados são do sistema Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), pertencente ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A diminuição em áreas de governança do Estado é maior do que a redução alcançada em todo o território paraense, ou seja, somando as áreas estaduais e federais, que atingiu a marca de 49% ao comparar o quinto mês do ano, de 2021 e 2022.

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Mauro O’de Almeida, ressalta que a atuação ostensiva de fiscalização e combate a crimes ambientais, a exemplo das realizadas por meio da Força Estadual de Combate ao Desmatamento, caminha junto com ações de oportunizem possibilidades de uma nova geração de renda que estimule a conservação ambiental.

“Estamos atuando firmes no propósito de combater o desmatamento ilegal, seja aplicando sanções administrativas, seja buscando responsabilizar criminalmente aqueles que praticam ilícitos penais. No Pará, o compromisso é com a legalidade e com a implementação de políticas públicas que levem o Pará a ser um exemplo de Estado carbono neutro e de economia verde”, afirmou Mauro O’de Almeida se referindo ao programa Territórios Sustentáveis, Regulariza Pará e a implantação do Plano Estadual de Bioeconomia, por exemplo.