Hiroshi Bogéa On line

“Clic” do dia

 

 

Amigo do poster em seu Facebook, Francisco Cavalcante postou fotografia, em nosso mural, que data de 1979, na qual aparecemos de pé, primeiro à esquerda, antes de uma partida de futebol society disputada  em Imperatriz.

O valor transcendental de resgate da fotografia não tem preço.

Inda mais quando constatamos a não mais existência, entre nós, de três saudosos amigos que nos deixaram prematuramente no fervor de suas vidas produtivas.

Nesse dia, o poster, contudido, comandou a equipe fora de campo,  como técnico. Vencemos a partida, como vencíamos quase todo jogo que disputávemos – modéstia de lado.

O motivo deste post é apenas para reverenciar a memória de  José (goleiro), empresário Guará (terceiro a partir do post) e a do bancário Edgar Aguiar (segundo, agachado), um dos mais talentosos goleadores.

Post de 

7 Comentários

  1. Anônimo Filho de Marabá

    14 de janeiro de 2012 - 13:57 - 13:57
    Reply

    Hiroshi,é de um valor inestimável esta foto, datada de 1979, isso nos trás de volta ao tempo. Eu mesmo, fui vitima de seus dribles curtos e desconcertantes ,que tanto, atormentavam os laterais e zagueiros,em especial quando voce aplicava-os no futebol de salão(society).Portanto, sou um privilegiado, por ter vivenciado aqueles momentos contigo. Abs

    • Hiroshi Bogéa

      14 de janeiro de 2012 - 16:23 - 16:23
      Reply

      Anônimo Filho de Marabá, então você foi testemunha – e coadjuvante. Valeu, parceiro. Bom final de semana.

  2. Abigail

    12 de janeiro de 2012 - 19:00 - 19:00
    Reply

    Que relato lindo de pai de bigode!!!
    Vc não sabe, mas estudei na escola que seus filhos estudaram, por uma época, estava em uma turma mais avançada.
    E ficava silenciosamente de olho em vc com os filhos, morria de inveja. Pois era um pai presente e super carinhoso.
    Cresci com essa imagem na cabeça!
    Legal relembrar isso com bigode e tudo.
    Apesar de não lembrar do bigode…

    • Hiroshi Bogéa

      12 de janeiro de 2012 - 20:07 - 20:07
      Reply

      Obrigado, Abigail. Disso me orgulho: fui um pai presente, carinhoso e ligadérrimo nos três filhos. Sou até hoje. Valeu o depoimento. Abs

  3. A SEFA esta cada vez pior

    12 de janeiro de 2012 - 13:50 - 13:50
    Reply

    Caro Hiroshi

    Mesmo apos denuncias aqui em seu blog, sobre a situação funcional precaria aqui nos postos fiscais da Cecomt-Carajás em Marabá: falta de pessoal, desvio de função, usurpação de função publica e outras….

    As coisas estão piores, esses dias deixaram de trabalhar 1 auditor ( Tem apenas 4 na Cecomt-Carajás) e 3 Fiscais de receita.

    Estão sendo perseguidos pelo atual coordenador pelo fato de descordarem da forma de conduzir os trabalhos da citada unidade, pricipalmente por não aceitarem o desvio de função.

    Faça um alerta ao SINDIFISCO

  4. agenor garcia

    12 de janeiro de 2012 - 11:01 - 11:01
    Reply

    Na foto

    Hiro, veja bem, acho que voce correu pra tirar a foto, doido de vontade de aparecer na gloriosa escalação. Pois bem, fã é isso mesmo. De chinelão, até que voce tinha um arquétipo de boleiro, né não? Ei, quanto foi o jogo. Jogaram contra quem? Fotos assim são impagáveis.. Dá saudade mesmo.. O mundo gira e a lusitana roda. Tá lembrado? E o bigodinho? Aliás, os times de hoje não tiram mais foto com esta pose. Eles ficam meio curvados, sei lá. Pela colocação na foto, dava pra gente saber quem era o zagueiro central, o ponta esquerda, o centro avante. Tais funções nem existem mais. Vide o Barça o que fez com o Santos. Né ?
    Grande abraço,
    Garcia

    • Hiroshi Bogéa

      12 de janeiro de 2012 - 12:13 - 12:13
      Reply

      Grande Garcia: a bola colava no pé aqui do gente boa. Nem Messi, se parecia. Ehe eh eh

      Não lembro do resultado, mas nosso time ganhava todas. Eu não jogava pra perder, detesto perder, isso me deixa mal. Quanto ao “bigodinho”, andei usando um tempo até que os tirei por causa dos meus filhos. Sílvia e Thiago, pequenos, ficavam com a pele do rosto arranhada quando eu os curtia, brincando com eles, dando meu carinho que sempre soube dispensá-los. Nunca mais deixei bigode crescer. Obrigado, querido, pelo retorno. Estava fazendo falta aqui. Abs

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *