Cidade submersa

Publicado em 3 de novembro de 2011

 

Avenida Antonio Vilhena: alagamento provocado pela Grota do Aeroporto

 

Residências às margens da Grota Criminosa invadidas pelas águas

 

A primeira grande chuva do pré-inverno caiu arrasadoramente na madrugada dessa quarta-feira, 2, em Marabá, alagando áreas habitadas às margens de grotas e seu entorno – como vem ocorrendo nos últimos 20 anos em bairros surgidos no rastro da explosão demográfica.

Os pontos mais atingidos pela precipitação volumosa foram os já conhecidos do grande público: Grota Criminosa e Grota do Aeroporto, alagando casas construídas em baixadas e às margens dos dois igarapés.

Grande parte dos moradores das casas da Grota Criminosa invadidas pelas águas da chuva está cadastrada no Programa Minha Casa. Minha Vida, cujas residências serão entregues no início do próximo ano. Registre-se a insatisfação de algumas famílias morando nessas áreas de risco que relutam em se mudar para as novas habitações. Firmam pé e dizem que não sairão do lugar insalubre que habitam.

Bueiros entupidos também causaram a cheia urbana, num avant-premier do que poderá ocorrer no inverno que se aproxima, prometendo muita água, aborrecimentos e prejuízos.

Coincidentemente, à véspera da grande chuva dessa madrugada, o blog divulgou na segunda-feira, 31, a aprovação do pedido de inclusão no PAC das macrodrenagens das grotas Criminosas e Aeroporto, obras que virão acabar de vez com as cheias pluviais e possibilitarão a muitas famílias viverem com dignidade.

O financiamento de quase R$ 200 milhões faz parte do programa de melhorias da qualidade de vida adotado pelo governo Lula e sequenciado na gestão de Dilma Roussef, que elege cidades com mais de 200 mil habitantes para a aplicação de benefícios de saneamento , moradia e urbanização em áreas de risco.

Para enfrentar o problema cada dia mais incontrolável das enchentes urbanas, originárias do surgimento de favelas à beira de igarapés e grotas, além da falta de drenagem pluvial, o governo adotou a linha de financiamento contemplando macrodrenagens. Para se habilitar ao programa, os municípios precisam comprovar suas carências na área e apresentar projetos compatíveis com o perfil das exigências.

Até agora, são poucos aqueles que conseguiram emplacar suas prefeituras no PAC, exatamente por deficiências na documentação e projetos técnicos mal elaborados.

Dentro da secretaria de Obras de Marabá, existe uma equipe altamente capacitada de engenheiros, economistas e outros profissionais. O pessoal, trabalhando caladinho em seus gabinetes, já conseguiu emplacar duas macrodrenagens e um complexo esportivo cuja contemplação o município será comunicado pela Caixa Econômica Federal nas próximas horas, conforme acaba de repassar ao blog técnico da superintendência da CEF, direto de Belém.

Orçado em R$ 1,9 milhão, o complexo esportivo será edificado na sequencia do canteiro central da VE-P, avenida dupla que segue da rotatória da Folha 15/23 à rotatória da Verdes Mares (Folhas 26/27), oferecendo ao público jovem quiosque de Internet gratuita, um ginásio coberto, campo de futebol society, quadra de areia com arquibancada (que se juntaram às outras quadras já existentes naquela área), bosque para lazer das famílias, pista oficial de skate e pistas para salto e Cooper.

O complexo esportivo só não contempla piscina, e também Serpa incluído no PAC, pelo Ministério das Cidades.

As obras das duas macordrenagens estão garantidas pelo PAC, e serão construídas em quatro etapas, num prazo de três anos.

A primeira etapa da Grota Criminosa seguirá percurso contrário ao fluxo das águas do igarapé. Ou seja, da Folha 26 sentido Folha 29.

Tecnicamente há explicação para esse sentido inverno da obra: o nivelamento da macrodrenagem segue da foz às cabeceiras do igarapé, como forma de não haver falhas em sua aplicação que venha, num futuro, provocar transbordamento da grota em seu período de grandes chuvas.

Dragagem e alargamento da Criminosa serão feitas em três etapas, enquanto os mesmos serviços na Grota do Aeroporto ocorrerão em duas, face extensão bem menor do igarapé que sai do aeroporto rumo ao bairro Liberdade.

Três publicações de empenho de valores das duas obras foram feitas: uma de R$ 46 milhões (Grota Criminosa) , outros de R$ 59 milhões e R$ 65 milhões, referentes a Grota do Aeroporto, cujos recursos serão garantidos pela Caixa Econômica Federal.

Valor total das obras é de R$ 192 milhões.

Para se ter ideia da grandiosidade das duas macrodrenagens, praticamente todas as ruas dos bairros Liberdade, Laranjeiras e Independência serão pavimentadas, com obras de drenagem pluvial, esgoto e água potável.

O mesmo será feito nas ruas das Folhas 26, 23, 22, 27, 16, e em seus entorno, até a Folha 29.

 

 

Grota do Aeroporto ganhará macrodrenagem