Hiroshi Bogéa On line

Checando números

Com a participação de comentaristas bem informados – e a confirmação de gente da secretaria de Finanças do município -, o blog enumera alguns débitos corretos da prefeitura de Parauapebas:

– Clean, terceirizada de limpeza pública, R$ $3.784.277,23 até 29 de fevereiro de 2008;

– Locarauto, do empresário Emílio dos Santos, R$ 2.933,191,00 (locação de veículos);

– Premium Engenharia, de Brasília, R$ 8.424.112,00, até fevereiro de 2008;

– Empresa White, do famoso empresário Branco, próximo a R$ 14 milhões.

Conforme divulgado na coluna do poster no Diário do Pará, a prefeitura de Parauapebas deve mesmo R$ 80 milhões,, incluindo-se empréstimo de R$ 30 milhões contraído em fevereiro, a título de antecipação de receita orçamentária. Pessoas ligadas a empresa confirmaram ao blog que a Premium Engenharia, objetivando gerar recursos, tem caucionado a prefeitura na rede bancária.

————

atualização às 13:21

Valorizar menos a questão do montante de royaltes devidos à prefeitura de Parauapebas pela Vale (diz-se em tornode R$ 175 mil) e questionar o que tem sido feito com a extraordinária arrecadação do município, essa a sugestão de comentário postado minutos atrás.
Diz colaborador do blog:

– A pergunta é: onde foram parar os recursos arrecadados pela Prefeitura (cerca de 30 milhões mensais)?
Post de 

9 Comentários

  1. William Bayerl

    18 de março de 2008 - 11:55 - 11:55
    Reply

    Depois de uma grande trapalhada ocorrida ainda na época do Chico das Cortinas (qdo fornecedores chegaram a ficar 6 meses sem receber e os funcionários 3), havia muito tempo que não se falava em crise nas finanças da Prefeitura de Parauapebas.
    Afinal ñ é para menos, a pacoteira que entra é muita e é preciso ‘rasgar’ dinheiro para dar conta de tanta grana.
    Acontece que Darci – segundo fontes – muito mal influenciado pelo Procurador Municipal, Dr. Ernandes Margalho começou a gastar por conta e aí se perdeu todinho com o tombo que a Vale lhe aplicou.
    Desde junho do ano passado a cidade virou um canteiro de obras, pois era preciso apagar os 30 meses de paradeira, e os cofres públicos começaram a se abrir para os acordos políticos, foi por isso que as coisas saíram do prumo, mas não se enganem, a máquina ainda é forte e mesmo capenga poderá ser decisiva na campanha.
    Agora para poder dar um jeito na situação, ou o Loirinho recebe da Vale ou então terá que começar a devolver carros, entregar casas alugadas, rasgar contratos e demitir ‘companheiros’.
    Triste sina!!!

  2. Anonymous

    12 de março de 2008 - 21:06 - 21:06
    Reply

    Companheiro anônimo que se indigna com os comentários postados sobre a “suposta” situação pré-falimentar da Prefeitura de Parauapebas: Já que vc trabalha na SEFAZ,já que voce foi um dos “raros privilegiados” que teve acesso a contabilidade da Prefeitura, e saiu de lá “convencido..”dou-te uma sugestão simples e banal:PEÇA PARA A PREFEITURA DIVULGAR AS SUAS CONTAS,OFICIALMENTE,COMO MANDA A LRF,INCLUSIVE NO SITE.”Saudáveis” como voce diz que estão,os “”que só criticam” serão desmascarados.Elementar,companheiro.Quem não deve não teme.E como diria a velhinha de taubaté:”Mas rápido se pega um coxo do que um mentiroso”.Contamos com voce para dar um “basta” aqueles que querem denegrir tão “brilhante e eficiente gestão”. A bola está com voce, com a SEFAZ,com a publicação dos balanços,das contas a pagar e receber.Toda uma população aguarda.Não fuja da raia!

  3. Anonymous

    12 de março de 2008 - 20:13 - 20:13
    Reply

    Caro Bogea, desparat mesmo é o que acontece na Prefeitura de Palestina do Pará, antes dos inícios das aulas de 2008, os servidores da educação através do SINTEP, colocaram o pé na parede ameaçando não iniciar as aulas sem antes ter um acordo com o prefeito Valciney (PT). A categoria reivindicava reajuste salarial e a reposição do de abono dos anos anteriores, segundo o sindicato o prefeito sempre escondeu os reais valores repassados ao FUNDEF/FUNDEB, os reais valores só ficaram as claras com a criação do SINTEP no município, se vendo acoado o prefeito Valciney concordou em se reunir com a categoria a pedido da mesma, o mais intrigante é que o prefeito Valciney afirmou ter usado o recurso do FUNDEB para outros fins (segundo ele para os 40% da educação, fato muito duvidoso) e que pagará parceladamente em folha de pagamento até julho o que ficou desfalcado. Porem o ato do prefeito Valciney caracteriza crime de Improbidade Administrativa.
    Agora o pagamento dos servidores dos demais setores que já era atrasado se agravou mais ainda, como os da saúde que já chegou a atrasar três meses e na própria prefeitura tem servidores com quatro meses em atraso junto com outros setores.
    No município o prefeito é pouco fiscalizado tanto pela câmara de vereadores quanto pelos conselhos que só funcionam no papel. Com isso o prefeito já comprou apartamento na capital, comprou mais fazenda fazendo anexos de terras, compra gado fora do município pensando que ninguém esta sabendo, vem aumentando seu patrimônio com aquisição de trator, maquinas e equipamentos que fogem aos olhares do povo e da sempre um jeitinho nas prestações de contas que são montadas com a ajuda da sua contabilidade e seu contador que já foi ate investigado Federal.
    O prefeito perdeu sua moral e credibilidade com o povo de Palestina, pois já se sabe de canto-a-canto da cidade que Valciney tem um caso serio com sua secretaria de Finanças Frankislany, a cumplici perfeita para todos seus atos ilícitos em desvio de recursos públicos.
    E agora quem poderá defender Palestina do Pará?

    O irmão (Valdones) do prefeito Valciney, que era secretario de Adm. foi exonerado para cumprimento da lei de nepotismo, porem, continua dando as cartas na prefeitura, e o caso sério Bogea e que o município assinou convenio com a Caixa Econômica para a construção de 164 casas populares, o irmão do prefeito esta fornecendo: madeira, ceixo, areia, barro, portas e outros para a construção das casas e usa maquinas e servidores da própria prefeitura, um grade absurdo e ninguém faz nada, estima-se que o prefeito juntamente com seu irmão iram embolsar medias de 500 mil reais do convenio diante dessa maracutaia, pois, os pedreiros e ajudantes que deverias ser pagos pelo convenio um boa parte ta sendo arcado pelo próprio beneficiário.

    E tudo indica que o prefeito deverá lançar sua amante, ou seja, a secretária de finanças – Frankislane para candidata a prefeitura do município.
    Bogea coso duvidas consulte o SINTEP do município, o funcionalismo publico, moradores, alguns vereadores uma outra pessoa referencia para esse relato na cidade é o Carlos Oracio, que faz um programa na radio comunitária e não tem medo de falar, põe sempre em questão os problemas no município, creio que ele ainda não se corrompeu, peguei ate o e-mail dele no orkut: carloshoraciosd@hotmail.com.
    Estamos fazendo nossa parte queremos que a imprensa e a justiça faça a sua.
    Boa sorte Bogea.

  4. Anonymous

    12 de março de 2008 - 18:45 - 18:45
    Reply

    Nao adianta esconder suas mentiras, nao houve um emprestimo e ponto final. Voces MENTIRAM e essa é a VERDADE.sE TE GENTE ENRIQUECENDO NAO SOU EU. MAS FICO ENOJADO COM CRITICAS INFUNDADAS.

  5. Anonymous

    12 de março de 2008 - 18:33 - 18:33
    Reply

    Toda Prefeitura deve publicar seus balanços financeiros em seu SITE na NET,cfe. aconselha a LRF.Todo e qualquer valor pago deve seguir rigoroso trâmite,quase sempre começando pela LICITAÇÂO, em qualquer de suas modalidades.Até os SG da SEFAZ sabem que em Parauapebas “no es bien asi”..
    Sr. João Fontana manda fazer a “obra” e depois o pessoal da licitação “arruma os papéis”.Afinal é só papel,SÔ!E é mentira,viu pessoá,ningém faz nada retroativo,ninguém “monta licitação”nãO,VIU!AFINAR NÓIS É jeca MAS É RICO!e NOS DEIXEM CONTAR NOSSOS “BOI” EM PAZ!

  6. Anonymous

    12 de março de 2008 - 15:03 - 15:03
    Reply

    Quem tem medo de extorsão é padre!

    O fato é que Parauapebas na gestão atual não têm qualquer transparência nas contas públicas, comportamento bem diferente do que se espera de um prefeito que tem medo de extorsão.

    O fato é que secretários e vereadores de Parauapebas externam sinais de riqueza incompatíveis com suas rendas LÍCITAS.

  7. Anonymous

    12 de março de 2008 - 11:53 - 11:53
    Reply

    BANDO DE MENTIROSOS. TODOS SABEM QUE VCS ESTAO JOGANDO PRA GALERA. TRABALHO NA SEFAZ E FICO IDIGNADO COM AS MENTIRAS. NAO HOUVE EMPRESTIMO QUALQUER,MESMO PORQUE NAO PODERIA SER FEITO SEM APROVAÇÃO DE CAMARA. PAREM COM ISSO SE QUISEREM EXTORQUIR NOSSO PREFEITO NAO FAÇAM COM MENTIRAS. AS CONTAS ESTAO CONTROLADAS. NADA FORA DA NORMALIDADE

  8. Anonymous

    11 de março de 2008 - 20:13 - 20:13
    Reply

    Não é de hoje que as coisas funcionam em Parauapebas dessa forma. Darci deu continuidade aos desmando da sec. de finanças, que aliás, é meio webberiana, têm vida orgânica própria, independe de quem a ocupe. Por lá passou um médico (Welney/Bel), um açougueiro (Marcelo Catalão) e agora tá ná mão de um ex-seminarista, porém tudo continua como “dantes na casa de abrantes”.

    Abre o olho Darci, limpa tua prefeitura!

  9. Anonymous

    11 de março de 2008 - 19:30 - 19:30
    Reply

    Se é verdade que a Prefeitura contraiu emprestimo a título de antecipação de receitas,cometu outro ilícito, este previsto na LRF,cfe. abaixo:

    Operações de crédito por Antecipação de Receita
    Orçamentária
    As operações de crédito por Antecipação de Receita Orçamentária
    (ARO) deverão destinar-se exclusivamente a atender a insuficiência
    de caixa durante o exercício financeiro e deverão cumprir as exigências
    da contratação de operações de crédito e, adicionalmente, as seguintes:
    • poderão ser realizadas somente a partir do décimo dia do início
    do exercício (10 de janeiro);
    • deverão ser liquidadas, com juros e outros encargos incidentes,
    até o dia dez de dezembro de cada ano;
    • não serão autorizadas se forem cobrados outros encargos que
    não a taxa de juros da operação, obrigatoriamente prefixada ou
    indexada à taxa básica financeira, ou a que vier a esta substituir;
    • as operações de crédito por ARO ficam proibidas enquanto
    existir operação anterior da mesma natureza não integralmente
    resgatada ou no ULTIMO ANO DE MANDATO DE PRESIDENTE,GOVERNADOR OU PREFEITO.

    Quanto mais se explica,mais “fede” esse assunto Parauapebas!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *