Hiroshi Bogéa On line

Chaplin e a Vida

30 anos sem Chaplin, aconselho você ir à primeira locadora e pegar tudo o que ele fez, mostrar aos filhos e netos.

Na tela, a vida é mais bela. Com Chaplin.

Nos textos, quatro pensamentos dos milhares deixados por ele, e Smile, inesquecível peça musical de nosso eterno palhaço:

1

“A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade. Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?”

2
“Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso”.

3
“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos”.
4
“Minha fé é no desconhecido, em tudo que não podemos compreender por meio da razão. Creio que o que está acima do nosso entendimento é apenas um fato em outras dimensões e que no reino do desconhecido há uma infinita reserva de poder”.

Smile
Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos
Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

Post de 

2 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    27 de dezembro de 2007 - 15:25 - 15:25
    Reply

    Rsrsrs
    Você como sempre afetuosa com a gente aqui na blogosfera. Já percebi, neste blog, no Quinta e em outros espaços de parceiros ilustres, quando estamos arretados com as bandalheiras, você chega pedindo calma. É uma contraposição bem legal essa sua. Pelo menos obriga a gente fazer alongamentos, antes de sair batendo.
    Aguardemos, pois , o post salva-salve 2008. Vem, sim, pode ter ceteza.

    Abs Cris

  2. Cris Moreno

    26 de dezembro de 2007 - 16:12 - 16:12
    Reply

    Não quero ver você triste assim!

    Glamour! Vamos lá!

    Coloque um post bem lindo para 2008!

    Confio em você, menino!

    Beijinhos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *