Hiroshi Bogéa On line

Cerco a Roquevan

O delegado de polícia  Fábio Veloso pedirá ainda hoje a prisão preventiva do sindicalista

Roquevan Alves da Silva, líder do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), apontado como  o coordenador da invasão ao canteiro das eclusas de Tucuruí. A área está sob controle absoluto dos liderados de Roquevan, inclusive  apreensão de equipamentos utilizados pelas empreiteiras  na construção da obra de engenharia hidráulica que permitirá a subida e descida de barcos pelo Tocantins, superando os desníveis formado pela barragem.

Há cerca de 30 minutos o MAB permitiu a liberação de apenas dois veículos, negando, no entanto, peremptoriamente,  a cessão dos demais maquinários. A obra está cercada por invasores em seus pontos de acesso, e plenamente ocupada em seu interior pelos manifestantes que exigem o cumprimento de extensa pauta de reivindicações – inclusive afastamento do juiz de Direito do município, Cláudio Hernandes Silva Lima, titular da 3ª Vara Penal da Comarca, autor da decretação da prisão preventiva de Roqueven, em 2008, acusado à época dos crimes de extorsão, formação de quadrilha e dano qualificado.  

Só para lembrar: os crimes apontados no pedido de prisão preventiva do líder sindical teriam sido praticados por ele por ocasião da tomada das dependências da hidrelétrica de Tucuruí. 

A prisão de Roqueven só não ocorreu em face da concessão de liminar em habeaus corpus do desembargador Milton Nobre, determinando a expedição de salvo conduto para garantia da liberdade de Alves da Silva.

Em Tucuruí, a própria polícia não trabalha com a hipótese dos manifestantes deixarem o canteiro das eclusas antes de terça-feira, data em que haverá reunião, em Belém, entre entidades sociais e representes do governo do Estado e da Eletronorte. Como a estatal exige sentar-se à mesa apenas com as lideranças do Movimento dos Atingidos pelas Barragens (MAB) e da Associação dos Expropriados  pela Barragem, formou-se o forobodó: o MAB exige a negociação com oito entidades.

Representantes do governo do Estado estão em campo tentando sensibilizar a Eletronorte a manter o encontro com todos os setores envolvidos.

O blog acaba de apurar que o novo pedido de prisão preventiva de Roquevan Alves da Silva, a ser encaminhado à Justiça pelo delegado Fábio Veloso, sustenta-se na acusação de  formação de banco,  danos ao patrimônio, invasão de propriedade e furto de objetos. A Eletronorte já registrou contra os invasores das obras das eclusas dezenas de BOs apontando o roubo  de equipamentos, cabos e uma série de outros itens. 

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *