Hiroshi Bogéa On line

Centro de Convenção

Idêntico ao que será construído em Santarém, um centro de convenções foi anunciado por Ana Júlia para Marabá, com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).
A boa nova deixou empresários em estado de graça.

Post de 

6 Comentários

  1. Val-André Mutran

    7 de fevereiro de 2008 - 13:31 - 13:31
    Reply

    Dor de cotovelo anônimo?
    Que ressaca heim?

  2. Anonymous

    6 de fevereiro de 2008 - 00:04 - 0:04
    Reply

    qua e val mal ta vc, que ta com do de cotovelo, a Governadora tem que fazer sim um centro de convenções em Maraba, qual e a sua dispeitado. va pentear macaco….

  3. Val-André Mutran

    5 de fevereiro de 2008 - 13:32 - 13:32
    Reply

    Se a Escola de Produção e o Centro de Convenções e a suposta ampliação do distrito industrial são os projetos do governo para Marabá.
    Meu Deus! Tá mal esse governo.

  4. Val-André Mutran

    4 de fevereiro de 2008 - 22:05 - 22:05
    Reply

    Respeito sua tese. Mas, de jeito nenhum Hiroshi concordarei.
    Quem quiser parir os seus Mateus que o façam. Façam-no com o seu dinheiro. Não com o meu, aviltado contribuinte que sou, cuja a panada de facão rabo de galo é retida na fonte. Vários de meus recibos do imposto de renda são conferidos aí.
    Centro de Convenções para Marabá é interesse da Unimed, da Cosipar, da RBA… Poratanto, interessa à eles esse mimo, à mim não.
    Quer ver?
    Pergunte à população de Marabá, o que ela acha de uma lindinho Centro de Convenções bancado pelo governo estadual?
    Governo, meu caro, tem que investir em Educação – que em Marabá é roça;
    Saúde, que é uma vergonha, e
    Segurança Pública.
    Tudo que esse governo não faz.
    Escola nova? Ótimo. Em seis meses estará acabada.
    Hospital Regional. Abra a caixa preta do de Marabá. Veja os repassasses à menor e diga-me se estou errado.
    – Queres as planilhas?
    Segurança Pública.
    Não direi uma palavra sobre isso. Seu blog acompanha o dia-a-dia dessa vergonha.
    Centro de Convenções com o meu dinheiro não mestre. Nem que a vaca tussa.

  5. Hiroshi Bogéa

    4 de fevereiro de 2008 - 16:47 - 16:47
    Reply

    Discordo, Val.
    Marabá necessita, sim, de um Centro de Conveções. De dimensão para o futuro.
    A cidade transformou-se no centro de convergencia do turismo de negócios e as pesssoas que aqui aportam de todas as cidades do Sul do Pará nao encontram local apropriado. Apenas pequenos espeços improvisdos dos hotéis.
    Somente ano passado, alguns seminários e congressos inicialmente programados para Marabá, foram transferidos para Belém por indisponibilidade de local.
    Os pequenos auditórios existentes nao foram feitos para este fim.
    Não substime nunca o crescimento de arabá e e seu destino traçado de ser uma das cidades mais importantes do BRASIL.
    Recentemente, a Unimed Sul do Pará teve de realizar um simpósio nas dependencias de um hotel com numero reduzido de inscrições. Muitos medicos do Sul do Pará deixaram de participarm por falta de lugar.
    Um centro de convenções é reivindicaçao antiga de empresários e profissionais liberais.
    Ana Julia acertou em cheio. E será bastante saudada por essa obra.
    abs

  6. Val-André Mutran

    3 de fevereiro de 2008 - 10:38 - 10:38
    Reply

    Convenhamos caro, é quase nada!
    Centro de Convenções prá que?
    Vou te dar um exemplo de governo que tem foco, apesar de conhecer muito bem a peça.
    Enquanto a maioria dos governadores deste país deitado em berço esplêndido…Argg!!
    O governador José Roberto Arruda está em Washington ampliando os empréstimos de quase R$ 300 milhões para o Projeto Brasília Integrada.
    Segundo o plano, é algo como uma revolução na integração de transporte a partir do Plano Piloto e as Cidades Satélites.
    Acompanha Arruda seis secretários.
    Arruda deu entrada no BID para o Brasília da Gente. Uma revolução social, bagatela de outros R$ 400 milhões.
    Falta a análise, óbvio do banco, mas, dizem, são favas contadas o aval do Governo Federal para a autorização do empréstimo.
    Sabe por que? Por que o carinha quando assumiu, enxugou a máquina.
    Desmontou as quadrilhas que assaltavam os cofres do GDF.
    Descentralizou o governo colocando em cargos chaves, que aqui são as administrações das grandes cidades satélites e do plano piloto. Mudou a sede do governo para Taguatinga, e disse que não vai admitir servidor fazendo corpo mole.
    O cara é da pesada.
    Decretou, isso, mesmo, aboliu por decreto o tal do gerúndio no atendimento ao público.
    Conclusão: em um ano de governo tem uma poupança invejável e pode contrair empréstimo.
    Ah! O Ibama autorizou as obras para a Cidade Digital. Uma espécie de Silicon Valley para abrigar as empresas com base high-tech e que precisam de escala e rápido acesso aos mercados.
    Me diga por favor o que o governo do Pará fez?
    Um ano amigo.
    Se perigar, nem projeto tem.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *