Celpa massacra funcionários, e não cumpre leis

Publicado em 9 de maio de 2012

 

 

 

Blog recebeu dois comentários distintos de pessoas que conhecem o cotidiano da Celpa.

O primeiro é de Antonio Carlos Pereira:

 

Diariamente, a Celpa está cometendo uma grande injustiça contra “enes ” ex-funcionarios da empresa, dos quais a maioria não é aposentado (a) e dependem única e exclusivamente do dinheiro proveniente dos acordos para sobrevivencia, mandando efetuar o corte de energia de suas residencias por atraso de pagamento de faturas, sendo que grande parte desses tem razoáveis quantias a receber da empresa oriundas de questões trabalhistas que estavam sendo pagas pela empresa e que pelos acordos firmados com a justiça, terminariam agora em 2012.

Os acordos (Plano Bresser e PCCS) foram pisoteados pela empresa sendo suspensos desde Fevereiro/12 até o momento, deixando muitas famílias ao Deus dará. Total desrespeito para com a grande maioria dos ex da empresa – muitos com 16/20/26 até 30 anos de casa – que muito contribuíram para o crescimento da empresa.

Acho justíssima a alegação dos ex atingidos pelos cortes indevidos. Pague a Celpa o que lhes deve e eles honrarão seu compromisso com suas faturas de energia. Eita país de desigualdades tamanhas. Aos grandes devedores da Celpa (milhões e milhões de reais) – há poucos dias divulgado em alguns blogues – o benefício do não-corte, ao consumidor comum, o rigor do corte, no caso, os ex que tem dinheiro a receber da empresa. Cadê nossa justiça ?  

 

 

O segundo comentário, não publicado pela sua extensão, é de Luís Sérgio Anders Cavalcante, cujo conteúdo trazemos à boca do palco:

Diz Luis Sérgio:

 

 

Reproduzo a seguir, na íntegra, Boletim do Sindicato dos Urbanitários/Belém, com seus 4 tópicos de 07/05/12 :

1-) ”PLANO DA CELPA NÃO PREVÊ PAGAMENTO IMEDIATO DO PCCS E BRESSER “. No Plano de Recuperação Judicial da Celpa entregue à Justiça na sexta-feira, 4 de Maio, não consta a continuidade do pagamento do PCCS e nem a retomada imediata do pagamento do Plano Bresser. Ainda na quinta-feira à tarde, ao saber que a Celpa havia alegado falta de fluxo de caixa para retomar o pagamento do Bresser, o Sindicato procurou a empresa para esclarecimentos. Em reunião na sexta-feira pela manhã, a Diretoria da Celpa, numa atitude desrespeitosa, informou que não voltaria a pagar o Plano Bresser e suspenderia o pagamento do PCCS. Para eles os pagamentos agora dependem da aprovação do Plano de Recuperação pela Assembleia dos Credores da Celpa com previsão para acontecer até o final de Agosto. Informaram ainda que, após a aprovação e homologação (que pode acontecer em Setembro) do Plano, se houver injeção de recursos financeiros na empresa, os créditos trabalhistas serão pagos em seis meses, caso não haja esse aporte de capital, a Celpa vai pagar em doze meses, como determina a Lei11.101/05, que regula a Recuperação Judicial. O Sindicato avalia que é cômodo para a empresa agora se apoiar nesta Lei para penalizar os trabalhadores. É uma situação inaceitavel, pois a categoria já foi penalizada até demais por conta da má gestão que levou a Celpa à essa situação de extremo endividamento. Uma nova reunião entre o Sindicato e a Diretoria da Celpa será realizada esta semana para continuar as discussões. O Sindicato luta pela retomada imediata do pagamento do Plano Bresser e pela continuidade do pagamento do PCCS. Para avaliar a situação e decidir sobre um calendario de luta para pressionar a empresa será realizada assembleia nesta quarta-feira, 9 de Maio, antes do expediente, nos portões da empresa, em Belém e Regionais. Todos à Assembleia, vamos nos unir para defender nosso direito de receber os créditos trabalhistas.

 2-) TRABALHADORES DO CALL CENTER NÃO DEVEM TREINAR TERCEIRIZADOS”: Recebemos denuncia de que trabalhadores do Call Center foram ordenados a ministrar treinamentos aos empregados de empresas terceirizadas, contratadas para atuarem no que a Celpa chama de Centro de Relacionamento com o Cliente(antigo CAC). A orientação do Sindicato é para que os empregados da Celpa se recusem a dar esse treinamento. O objetivo final da empresa poide ser terceirizar a mão-de-obra do Centro de Relacionamento. A nossa luta é pela manutenção dos postos e contratação de mão-de-obra própria. Com muita luta conseguimos conquistar na data-base 2011, um Termo de Compromisso mantendo os postos de trabalho tanto no Call Center como nas Lojas de Atendimento. A luta é no dia a dia para manter esse Termo. Não treine os terceirizados. Quem tem que treina-los é a empresa deles.

3-)  PROTELAR O PAGAMENTO É DESRESPEITO À CATEGORIA ” : O Plano de Recuperação da Celpa será submetido à Assembleia dos Credores. Ocorre que esta Assembleia tem previsão para acontecer entre o final de Agosto e inicio de Setembro. Se o Plano for aprovado pelos credores, pode ser homologado em Setembro. Este é mais ou menos o prazo para a empresa dar inicio ao pagamento das dívidas. O Sindicato está convencido de que a empresa tem fluxo de caixa para continuar pagando o PCCS e voltar a pagar o Bresser, pois a Celpa tem um faturamento mensal superior a RS 220 milhões. Fazer a categoria esperar pela aprovação e homologação do Plano é um desrespeito com aqueles a quem chama de “colaboradores”, e com os que estão fora da empresa, mas que ajudaram a construir a Celpa, muitos deles já aposentados. Se não houver negociação para a continuidade do pagamento do PCCS e para a retomada do pagamento do Bresser, serão realizados novos protestos, com paralizações e greve. Continuamos na luta tambem, pela federalização da empresa, por melhores serviços à população, pela normalização do atendimento no Call Center e pela manutenção dos empregos.

4-) CELPA RETIROU SEGURANÇAS DAS LOJAS” : A Direção da Celpa retirou os seguranças das Lojas de Atendimento. Por isso os atendentes voltaram a sofrer violencia em seus locais de trabalho. Em um assalto ocorrido em Santa Izabel, o assaltante correu para o quintal da Loja de Atendimento. A polícia invadiu a Loja para ter acesso ao local onde o assaltante se escondeu. A Atendente, que trabalha sòzinha, ficou em pânico com a situação. Já na Pedreira, como tambem não dispõe de segurança, na sexta-feira(4/5), um cliente só faltou agredir físicamente o Atendente, pedindo uma inspeção. A Direção da empresa vai esperar acontecer um fato mais grave para tomar providencias ?