Câmaras de vereadores são transformadas em antro de malandros

Se depender dos exemplos criminosos que as câmaras municipais de Parauapebas e Itupiranga estão gerando, a impressão que chega ao distinto público é da proliferação sem limites de atos ilícitos praticados por alguns vereadores paraenses.

E a pergunta não cala: em toda câmara municipal, a malandragem pontifica no extremo de seu lado marginal?

Claro que nem todos devem pagar pelos pecadores, mas é essa a verdadeira impressão espraiada.

A prisão de cinco vereadores de Itupiranga, ocorrida nesta quarta-feira, 24, ocorreu no rastro de uma decisão exemplar do juiz substituto da Comarca de Itupiranga, Cristiano Magalhães Gomes, que decretou a prisão de seis vereadores do município, sendo que um deles encontra-se foragido.

Acusados  de participar de um esquema fraudulento de empréstimos no banco do estado do Pará, Banpará. os vereadores presos são Derimar Ferreira da Silva, (o Derimar da Colônia; PPS), Jhonnata Baima Vasconcelos (PSC), Nilton Moura Araújo (PPS), Raimundo Nonato Almeida Meireles, (PSB), Isaias Pereira Alves (PMDB).

O vereador Jailton Santos da Silva, (o Jailton da Panificadora, do PSB, que renunciou ao cargo em maio do ano passado), teve também a prisão decretada, mas encontra-se foragido.

No rol dos presos, também o  advogado Antônio Quaresma, acusado de produzir uma prova falsa e, mesmo sabendo da situação, teria arrolado no processo de defesa do vereador Raimundo Nonato.

No entanto, tudo não passou de equivoco e após ser ouvido pelo juiz, o advogado foi liberado.