Hiroshi Bogéa On line
Post de 

2 Comentários

  1. Karla Muaés

    24 de agosto de 2011 - 21:18 - 21:18
    Reply

    Acaba de ser indeferido pelo STJ o pedido da camara de Goias (veja bem…de Goias. Um absurdo, pessoas la de Goias virem meter o a colher no nosso tacacá!) . Agora, todo o Pará poderá votar contra ou a favor do seu esquartejamento.
    E que venha a campanha!
    Em outro comentario, deste blog, um participante enumerou todos os processos que os lideres politicos desta emancipação , estão respondendo.
    Serão estes mandantes e dos ex-futuros-estados!
    A primeira luta os Srs. ja perderam! A ditadura do sim vai ter que abrir mão da sua arbitrariedade, e assistir todos paraenses votarem!
    Temos que basear nossos votos nos dados tecnicos do IPEA. Eiu ja vi no site deles e estou convencida de que uma boa Gestão impedirá a destruição do Pará.
    Veja só o que está acontecendo com Macapá, até hoje vivendo às custas do governo federal. Quando este atrasa o repassse, é um Deus nos acuda entre os fornecedores do Estado e salarios dos funcionarios e tudo o mais. E não tem volta!
    OLha so ai Tocantins vivendo um drama de quase interdição nos seus hospitais publicos, Estado novo heim!!!40 anos depois!
    Cada dia me convenso de que, se cada prefeito fizer sua lição de casa, administrado bem os seus recursos, como faz o de Oriximiná a Paragominas por exemplo, o Pará nao precisará ser destruído. Vai dos seus eleitores cobrarem e fiscalizarem cada passo do seu Prefeito e vereadores.
    Aqui em Santarém a coisa ta séria viu!
    Vou votar NAO! com certeza!

  2. ANONIMO

    24 de agosto de 2011 - 16:21 - 16:21
    Reply

    Sinceramente Bogéa,dando atenção p/esse ranking da FIFA ? Entre os dez,tres nunca ganharam copa do mundo(inclusive a primeira colocada),uma nunca ganhou nada(Croácia),e falta uma campeã mundial(França).Não se espera de você comentário tão insano;Mano está começando um trabalho;pode até terminar em fracasso,mas não é hora de julgar.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *