Cabanos de papel

Publicado em 8 de janeiro de 2009

Não se faz cabano como antigamente.

Os cabanos paraenses dos tempos digitais são os primeiros a correrem do pau.

Em todo caso, hoje, 7 de Janeiro, é tempo de reverenciar Batista Campos, Francisco Vinagre, Eduardo Angelim e tantos outros líderes do movimento pela independência mais efetiva que afastasse portugueses e ingleses do controle político e econômico da Província do Grão Pará.