Hiroshi Bogéa On line

Botando pra correr

 

Em Rondon do Pará, vereadores Gedeon do Açougue (PPS), Nagib do Açaí (PT), Zé dos Reis (PMDB) , Budega (PDT), e Paulo Sérgio (PT), membros da Comissão de Educação da Câmara, foram escorraçados de uma escola de Ensino Fundamental quando realizavam trabalho de rotina de fiscalização da merenda escolar.

Falta colocar pra correr agora da própria Câmara Municipal, definitivamente.

O bota-fora dos gabirus foi promovido pela comunidade estudantil, que utilizou de alguns recursos não republicanos, como empurrões e gritos,  para expulsar os indesejáveis da escola.

Post de 

7 Comentários

  1. fernandinha

    17 de junho de 2011 - 13:26 - 13:26
    Reply

    Meu caro hiroshi, todas essas informações, são infundadas, pq na verdade isso não aconteceu, foi uma diretora desprepaarada que achou que omunicipio de Rondon pertence a seu grupo, e aí, impediu a comissão de entrar na escola… aí muitos aproveita para atacar, e não fazem nada pelo municipio… só acusam… muita dó de cutuvelo…

  2. pereira

    16 de junho de 2011 - 13:34 - 13:34
    Reply

    sinto muito nobres vereadores pela açao das diretoras em nao deixar voces entrar para fiscalizar
    mas voces nao servi para ser representantes do povo,ainda esses caras querem ser representantes do povo no poder municipal como prefeitos.
    sinceramente se toca rapazes pois nós sociedade rondoneses estamos de olho em vcs.
    o povo de rondon nao quer essa gente nem se quer saber nos representar.

  3. jose maria da silva (parque elite)

    16 de junho de 2011 - 13:29 - 13:29
    Reply

    senhor hiroschi que vergonha para os vereadores de rondon,no mes passado o vereador budega foi preso acusado de colocar fogo na casa de um casal de idosos e portava segundo as informaçoes uma arma sem porte ,veja como estar nossa cidade onde as autoridades nao sao autoridades,nao usa do poder que o povo lhe concedeu.
    mas isso é reflexo do passa pois em sua maioria estorquia dinheiro publico dos prefeitos temos que dar um basta nisso e eleger pessoas que tem compromisso com o povo e nao uns causas froxas como esses que foram expulsos pelas diretoras ,eles nao sabe que sao autoridades e que podia pedir para prender as mesmas mas como os rabos deles sao muito presos dair vcs sabem agora diz viriadores paulo sergio da sema,jose dos reis das caixas dgua e pias,gideon da carne,budega o homem que faz tranbique com os trabalhadores das serrarias em troca de voto e nagibe das estradas vicinais.
    sabe boge esses e mais os do iptus como os da educaçao que buscavam os mensalis pelo o ex-secretio gean.
    que nojó tenho desses caras.
    isso é uma vergonha e todos tem que irem para trás das grades

  4. Jorge

    15 de junho de 2011 - 22:17 - 22:17
    Reply

    Para vosso conhecimento, a diretora da Escola Maria Lei Colares (em questão), bem como a diretora da Escola João Miranda, foram convocadas pela Câmara Municipal a dar explicações de suas atitudes. Entretanto, ambas ignoraram a convocação do Legislativo Municipal, não comparecendo à sessão em que deveriam se fazer presentes.

  5. Jorge

    15 de junho de 2011 - 22:12 - 22:12
    Reply

    Sr. Hirishi, só tenho a confirmar o comentário da Sra. Rosa, com relação ao texto “Botando pra correr”. Realmente a comunidade estudantil nada teve a ver com a infeliz atitude da diretora daquela escola.
    A Comissão Parlamentar de Educação realizava serviços de fiscalização nas escolas do município de Rondon, averiguando a qualidade da merenda escolar, após várias reclamações de pais de alunos. Contudo, os membros da comissão foram desrespeitados em mais uma atitude insane da diretora.
    Portanto, vale lembrar que é dever dos parlamentares, fiscalizar. É também dever dos diretores de escolas, acatar a fiscalização e respeitar o Poder Legislativo.
    Infeliz também foi a publicação do blog sem antes averiguar a veracidade das informações recebidas, pois o texto implica a comunidade estudantil a uma (i)responsabilidade que não deve ser atribuída aos estudantes. LAMENTAMOS PROFUNDAMENTE!

  6. rosa

    14 de junho de 2011 - 21:04 - 21:04
    Reply

    e mais, ela so aceitou a aluna com deficiencia, depois que o conselho escolar municipal e o ministério público interferiu. essa diretora tem que passar a ser humana para depois quem sabe educadora. no tempo da inclusão essa atitude é reprovável; ficou tudo abafado porque a menina e sobrinha de uma outra diretora que foi cabo eleitoral da atual administração.

  7. rosa

    14 de junho de 2011 - 20:57 - 20:57
    Reply

    Sr. Hiroshi, sinto informar que quem o informou dos fatos, não foi criterioso e tão pouco responsável pelas informações fornecidas. A comissão em questão, é composta pelos vereadores Gedeon, José dos Reis e Nagibe do Açai. O fato ocorrido foi que a diretora retaliou a uma professora que fez uma reivindicação a comissão, gritou com outra pessoa e depois disso passou a insultar um dos membros da comissão. Não foi a comunidade estudantil quem expulsou ou fez qualquer manisfestação, foi sim, a diretora quem foi baixa e desqualificada. A dita diretora é tão despreparada que foi capaz de dizer que nem se o presidente Lula indo até sua escola a faria aceitar uma aluna com deficiência mental.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *