Bichos do mato

Publicado em 21 de março de 2007

Como não recebem atendimento em domicílio, os moradores das ilhas espalhadas no Lago de Tucuruí são acometidos de todo tipo de enfermidade; e por ali mesmo ficam -, esperando a morte chegar ou na esperança de algum milagre que os salvem do Juízo Final. É assim a vida de quem mora embrenhado nas matas e onde o governo não dá a mínima para espalhar assistência médica.
Além de malária e dengue, a “boa nova” no Lago é o surgimento de casos de hepatite. Um cidadão desembarcou no porto de Marabá buscando ajuda médica para se tratar de dengue, mas ao realizar exames descobriu-se que ele está com hepatite. Se tem um caso, pode ter vários e muitos outros de centenas.
Esse é o quadro. Que o secretário de Saúde de Tucuruí desconhece e diz estar tudo “sob controle”.