Hiroshi Bogéa On line

Beto Miranda: -“Nosso projeto político tem o olhar voltado para ajudar as cidades a se desenvolverem. Sem isso, as pessoas nunca terão qualidade de vida”.

Passando pela praça Duque de Caxias, no Núcleo da Velha Marabá, na tarde de sábado, 11, o blogueiro encontra numa animada roda de amigos o vereador Beto Miranda (PSDB), candidato a deputado estadual.

A parada para saudar velhos amigos foi o suficiente para este jornalista embrenhar uma entrevista com o candidato do PSDB.

Passava das 16 horas.

“Vamos tomar um suco aqui em casa, e bater papo”, convidou o vereador.

Beto mora em frente ao banco de praça onde a turma conversava, praticamente em frente ao antigo prédio histórico que já foi sede da Prefeitura e da Câmara Municipal.

Já na casa do parlamentar, numa área bastante ampla, no prosseguimento da garagem da residência, é onde Beto faz suas reuniões políticas, e foi lá que sentamos, tomamos suco, depois café, enquanto o papo informal transformou-se na entrevista transcrita logo abaixo.

Tião Miranda, prefeito de Marabá, e seu irmão Beto Miranda,

 

O que levou você a decidir entrar na vida política?

A compreensão de que eu poderia ajudar mais diretamente meu município a avançar socialmente, auxiliando na melhoria da qualidade de vida das milhares de pessoas que residem na periferia, e que necessitam de políticas públicas. Eu nasci e cresci na ribanceira do rio Tocantins e acompanhei a evolução das atividades econômicas de Marabá e região, sempre calcadas no extrativismo. Primeiro, tivemos  a fase  da borracha, depois de pedras preciosas (diamantes extraídos nos rios), castanha-do-pará, ouro e agora minério. Em todos esses períodos, nossas riquezas foram exauridas, sem que o povo, a população marabaense, tivesse algum benefício pleno transformando suas vidas para melhor. Ao contrário, tudo foi explorado por pequenos grupos econômicos, deixando rastros de miséria. Um dia meu irmão Tião Miranda me convidou para disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Marabá, em 2012. Aceitei o convite, fui à luta e me elegia.

 

Na Assembleia Legislativa, o que você pode fazer para ajudar na melhoria da vida das pessoas?

Pretendo atuar priorizando os setores de Saúde, Infraestrutura, Segurança Pública, Desenvolvimento Social e Econômico.   Pela Saúde, lutar para ampliar o Hospital Regional de Marabá, para onde são conduzidas pessoas enfermas de  dezenas de municípios do Sul e Sudeste do Pará, implantando  serviços oncológicos e cardiológicos, além de oferecer mais estrutura para serviços de hemodiálise.

Na área de Segurança Pública, atingir uma meta a ser especificada com estudos posteriores para a destinação de mais policiais, mais viaturas e distribuição estratégica de policias em toda região Sul/Sudeste.

Investimento em Infraestrutura é oportunidade de superar essa crise que já vem abatendo o país e o Estado há mais de três anos. O setor pode ajudar os municípios do Pará, especificamente aqueles situados no Sul e Sudeste, a crescerem economicamente e a gerar empregos, dando esperança e alento aos jovens, em grande quantidade perambulando atualmente pelas ruas das cidades em busca de contratação. Precisamos unir toda a classe política, e para isso me ofereço nessa empreitada, objetivando viabilizar economicamente o município de Marabá e seu entono, verticalizando o agronegócio e o minério de ferro – quem sabe criando a tão sonhada siderúrgica de Marabá.

Na área Educacional pretendo me reunir com os educadores,discutir uma agenda de atuação priorizando demandas. Só a classe de professores e demais servidores  da área podem pautar nossa atuação nesse segmento. Entretanto, sei que algumas escolas de Ensino Médio em alguns municípios carecem de urgentes reformas.  Atuarei nesse sentido para que os estudantes tenham suas reivindicações atendidas.

O Estado tem o programa “Mais Asfalto na Cidade”, que terá em mim um agente estimulador de ampliação de sua cobertura. Quando você coloca asfalto numa rua de qualquer cidade, os benefícios são universais: as famílias passam a ter mais conforto, seus imóveis são valorizados, mão-de-obra é contratada pelas construtoras, e a retomada da oferta de emprego e renda passa, necessariamente, por investimentos em infraestrutura. Ao menos dois motivos contribuem para isso. Quanto maior o aporte de recursos nesse setor, mais dinheiro estará em circulação na economia e cresce a arrecadação de impostos.

Atuarei sistematicamente defendendo a elevação de aportes em benefícios sociais. Por exemplo, ampliar crédito para micro e agricultura familiar, estimulando as áreas de assentamento a viabilizar uma cadeia produtiva de frutas. Eleger na região Sudeste e Sul do Pará algumas áreas para a produção de abacaxi, banana, mamão, manga, e melão.

Ou seja, nosso  projeto político tem olhar voltado para ajudar as cidades a se desenvolverem. Sem isso, as pessoas nunca terão qualidade de vida.

 

Como você enxerga a atuação do seu irmão, Tião Miranda, na gestão da prefeitura de Marabá?

Olha, a maioria dos municípios brasileiros está passando, há anos, por uma crise estrutural na forma como os governos estaduais e municipais trabalham com a sociedade. As diversas manifestações que aconteceram nos últimos anos demonstraram não só o anseio da população por mais eficiência dos serviços públicos, mas também seu interesse em um governo mais transparente e responsável. O Tião tem uma vocação extraordinária para observar isso e imprimir um estilo de governança que poucos prefeitos conseguem fazer em seus municípios. Ele sabe decidir e priorizar o dinheiro público, imprimindo uma gestão qualificada. Não tenho dúvidas de que ele, hoje, é um dos prefeitos com maior aprovação popular. Para certificar o que digo, basta sair pelas ruas da cidade, observar o trabalho da prefeitura e conversar com a população. Por isso, meu empenho nessa eleição para deputado estadual com a missão de trabalhar muito mais na busca de recursos para o Tião ampliar  a oferta de serviços e obras na cidade. E também tenho compromisso de trabalhar para ajudar os municípios no entorno de Marabá a conquistarem recursos e obras diversificadas do Estado.

 

A sua candidatura a deputado estadual foi estimulada pelo Tião Miranda, seu irmão?

Eu jamais me lançaria à uma luta tão difícil como essa de buscar o voto do eleitor para uma candidatura a estadual se não ouvisse a opinião de meu irmão, além de consultar meus apoiadores nos bairros e em outros municípios e as lideranças do meu partido e o nosso candidato a governador, Marcio Miranda. Mas o aval do Tião foi fundamental para eu elaborar esse projeto político que visa a construção de cidades melhores, com suas populações recebendo o mínimo de benefícios. Lutar por melhores condições para nossa região, através do desenvolvimento socioeconômico, garantindo assim a qualidade no atendimento a todas as demandas da população. O Tião foi fundamental na minha decisão.

 

O que você espera dessa eleição de outubro?

Penso que nessa campanha  nosso maior desafio é renovar a esperança da juventude e das pessoas que habitam nosso Estado de que tudo pode ser diferente, que o Pará pode dar certo e a gente pode viver uma vida melhor. É preciso acreditar que uma página pode ser virada e isso depende muito de nós. Pra isso, basta ver, como exemplo, a administração de meu irmão Tião Miranda em Marabá.

 

O que espera de Márcio Miranda, eleito governador?

Tenho relação pessoal com o Márcio, ele tem as mesmas preocupações que as minhas com o social  e é uma pessoa muito acessível. Então, com o total apoio dele, não tenho dúvidas de que faremos um grande trabalho por Marabá e por todo o Estado.

 

Você firmou uma parceria com o deputado federal Joaquim Passarinho, apoiando-o na luta pela reeleição dele. Por que a escolha de Joaquim Passarinho?

Por que já o conheço a longas datas, acompanho seu mandato e sei da sua luta pelo Pará e compromissos assumidos a favor de Marabá e região. Antes de me lançar candidato a deputado, eu já tinha obtido conquistas  através do Joaquim, como os esforços dele para conseguir, junto a Vale, a iluminação da ponte rodoferroviária do Tocantins e emendas para Marabá num total de R$ 2 milhões. Ele merece a reeleição porque tem serviços prestados.

Post de 

2 Comentários

  1. Gil

    16 de agosto de 2018 - 00:31 - 0:31
    Reply

    Temos cá um cabo eleitoral “digital”?
    Pq o nobre candidato não intensifica seu trabalho ainda mais na cidade tendo em vista que existe muito ainda para ser feito?
    O bairro independência é esquecido pelo poder público, poeira, lama, lixo, um descaso total com a população!
    Solicito que venha ver de perto a rua Tancredo Neves, a mesma foi tomada por mato e está sem saída; Travessa Antônio Thomas não tem coleta de lixo, você entra e tem que voltar de marcha ré devido a Trancredo Neves estar bloqueada pelo mato!!
    Porque não resolvem os problemas “internos”??
    Meu caro Hiroshi, porque não questiona isso em outra conversa com os candidatos locais!?

  2. João Dias

    13 de agosto de 2018 - 15:15 - 15:15
    Reply

    “Eu nasci e cresci na ribanceira do rio Tocantins.”

    É verdade seu menino! Filhos da Terra, desde o berço.
    Também remou e pescou embarcado na canoa MIRANDINHA. Na volta pra casa, dividia o peixe.

    BAIA e BETINHO parece nome de dupla sertaneja, só parece. Estou certo que, seja à frente da Prefeitura Municipal de Marabá ou na Assembléia Legislativa, têm muito a fazer por Marabá e farão, pelo histórico familiar e social.

    Plena vitória, é o que desejo ao candidato BETINHO; sucesso e realizações administrativas ao Baia.

    Sds. Marabaenses!
    Rio, 13/08/18.
    João Dias.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *