Bernadete vai à guerra

Publicado em 8 de agosto de 2009

Nem bem desembarcou na cidade, na manhã deste sábado, 8, o poster tomou conhecimento de desavenças da deputada estadual Bernadete ten Caten (PT) com a cúpula do governo do Estado. O tititi está correndo na boca da militância do “PT Pra Valer”, tendência comandada pela deputada no município.

O conflito, dizem, já vem de meses, no vácuo da resistência com que a Casa Civil encara os insistentes pedidos de Bernadete para nomear pessoas de sua corrente em pontos chaves da administração, em detrimento a parceiros da aliança que ajudou a eleger Ana Júlia.

Dois fatos teriam gerado a explosão de ira da parlamentar e de seu marido, o Secretário-Adjunto da Secretaria Estadual de Planejamento, Luiz Carlos Pies.

(Consta, inclusive, que Luiz teria ido ao gabinete de Cláudio Puty desabafar mágoas e exigir tratamento diferenciado aos pedidos de Bernadte. O poster não conseguiu localizar, pelo telefone, o Chefe da Casa Civil, para saber da procedência desse fato. Fica aqui narrado, mas com ressalvas).

Detran

Primeiro, a negativa do governo em substituir o gerente do Detran de Marabá, Aderson Mutran Junior, a pedido de Bernadete, para colocar o advogado Pedro Marinho Filho, que preside o PMN local e é um dos aliados da petista.

Além de Aderson Junior estar realizando excelente trabalho à frente do Detran, mudando completamente a imagem que se tinha do órgão como antro de corrupção, o Departamento Estadual de Trânsito faz parte da gestão compartilhada com o PMDB.

A própria governadora, ao tomar conhecimento do assédio com que Bernadete apostava proceder mudanças no órgão de trânsito, determinou à Casa Civil não permitir que o assunto fosse tocado novamente dentro do governo.

Assombração no Incra

Outro fato, segundo a mesma fonte do “ PT Pra Valer”, conta que chegara ao conhecimento de Bernadete, a suposta intenção do Superintendente do Incra do Sul do Pará, Raimundo de Oliveira Filho, candidatar-se a deputado estadual, quebrando ao meio, caso isso se confirme, a espinha dorsal da estrutura logística que tonificou a excelente votação obtida pela deputada, em 2006.

Ex-superintendente do Incra em Marabá, Bernadete contou com o apoio decisivo de Raimundo Oliveira para abocanhar a quase unanimidade dos votos em quase todos os assentamentos sob a jurisdição do órgão.

Trocando em miúdos, Bernadete teria ficado apavorada. Ela sabe que se isso ocorrer, é quase impossível sua reeleição.

Enganos imperdoáveis

Muito bem.

Acumulando dois petardos, em menos de uma semana (desconsideração a seus pedidos de nomeação no Detran e a suposta pré-candidatura de Raimundo), a reação de Bernadete foi partir pro ataque.

Atacou, mas estrategicamente errada.

Ao articular, com o apoio do deputado federal Zé Geraldo, a substituição de Raimundo Nonato na Superintendência do Sul do Pará do Incra, não imaginava que os prefeitos da região se uniriam contra a retaliação dela.

Resultado: o governo federal receberá documento subscrito por eles pedindo a manutenção do atual superintendente, “ sujeito de bom trato e cumpridor de compromissos com as prefeituras”, acabou de declarar um dos prefeitos que colocou assinatura no papel.

Pior: não passava pela cabeça de Raimundo candidatar-se a cargo eletivo. A partir do momento em que ele soube da articulação de Bernadete para demiti-lo do Incra, o superintendente pegou gosto pela probabilidade e já fala, agora sim, encarar a deputada estadual na mesma faixa de eleitorado, buscando uma vaga à AL.