Bebê com 1 mês pega Covid e mãe pede suspensão de visitas em hospitais a recém nascidos

Uma mãe usou as redes sociais para fazer um apelo após sua filha, de pouco mais de um mês, contrair o coronavírus em visita de conhecidos.

Alice Vitória tinha apenas 34 dias de vida quando sentiu febre e o nariz ficou congestionado, acompanhado de uma tosse seca.

Os sintomas, que surgiram na última quinta-feira (27), fizeram a recém-nascida, de João Pessoa, querer apenas colo. Os sinais acenderam o alerta na mãeque passou a suspeitar que a bebê havia sido contaminada com Covid-19.

No mesmo dia, a mãe da menina começou a ter febre e dor no corpo. As duas, que não saíam de casa desde o sétimo dia de vida da bebê, quando fez o teste do pezinho, foram em busca de atendimento médico.

A pediatra que atendeu Alice pediu que ela fizesse um teste para diagnóstico de Covid no 3º dia de sintomas.

O resultado foi positivo.

Receber pessoas em casa após o parto da menina, não era uma opção para a auxiliar financeira, Fernanda. Ela explicou que não estava aceitando visitas. Mas teve quem insistiu.

Quem foi até o local e chegou sem máscara recebeu o pedido para recolocar o equipamento de proteção individual no rosto, mas algumas pessoas, voltavam a tirá-la.

Constrangida, Fernanda não insistia.

Depois do susto, a mãe usou as redes sociais para pedir que as visitas a bebês sejam evitadas.

“Quando eu me dei conta que ela estava doentinha e que essa doença já matou várias pessoas, eu fiquei muito abalada. Explodiu dentro de mim uma leoa que tem coragem de atacar qualquer um pra defender a cria, pois é a vida de uma criança que está em jogo. E na hora de decidir entre chatear alguém ou a saúde de minha filha, eu a escolho, mesmo que eu seja taxada de exagerada”, reforçou.

Na publicação, a auxiliar financeira lembrou, que mesmo vacinada, viveu um pesadelo com a pequena e explicou o motivo do desabafo: “Estou com Covid também, tive todos os sintomas e meu corpo está dolorido até os fios de meus cabelos. Imagina a minha pequena que teve madrugada que gemia de dor […]. Deem ouvidos a essa ‘mãe louca’ [que] no fundo ela só quer proteger a cria”.

A médica pediatra Suellem Clementino, da maternidade pública de Campina Grande, explicou que os bebês não devem receber visitas durante a pandemia. Porque são mais vulneráveis a doenças.  Com ou sem pandemia, no geral, as pessoas não devem beijar mãos, rosto ou os pés do bebê. Quem estiver com sintomas gripais, em qualquer época, não devem visitar bebês.

“O recém-nascido não está com seu sistema imunológico desenvolvido. Na maioria das vezes, ainda não tomou as vacinas, quando é uma visita muito precoce. Então é evitar esse tipo de contato”, alertou a especialista.