Batalha na AL

Publicado em 9 de fevereiro de 2010

Prefeitos do Sul do Pará estão com a disposição de partir pro corpo a corpo junto aos deputados estaduais, pressionando-os a aprovarem autorização para o governo estadual contrair empréstimo de R$ 360 milhões, cuja matéria tramita na AL envolto a confronto político,
O presidente da AMAT, Davi Passos (PT), mais ligado geograficamente aos prefeitos de municípios localizados ao extremo Sul do Estado, entende que os deputados estaduais sofrerão forte desgaste caso optem pela negativa do empréstimo. “Parte desse dinheiro, porventura aprovado, será destinado aos nossos municípios, tão carentes de recursos, e nenhum prefeito estará disponibilizado a trabalhar pela reeleição de parlamentar que não esteja preocupado com nossos problemas – cujas soluções só aparecem com dinheiro em caixa”, explica.

O prefeito de Xinguara garante que dirigentes de prefeituras de municípios do Oeste e Nordeste do Estado estão com o mesmo sentimento. “Em Brasília, recentemente, conversei com alguns colegas dessas regiões, ouvindo deles a mesma preocupação. Afinal, quem sofre as consequências dessa queda-de-braço dos interesses partidários dentro da Assembléia, é o povo sofrido do Estado”.

Wenderson Chamon (PMDB), prefeito de Curionópolis, recentemente aclamado presidente da AMAT (Associação dos Municípios do Araguaia-Tocantins), antes mesmo de assumir o cargo, já está agendando encontros com deputados e o presidente da AL, Domingos Juvenil. “Nós temos que ter a responsabilidade de saber dividir o que faz bem ou mal às comunidades. Disponibilizar recursos às prefeituras, é a missão de cada um de nós, principalmente depois de quase um ano em que as verbas públicas tiveram queda acentuada devido a crise econômica que dominou o mundo”.

Chamonsinho, como é mais conhecido o prefeito, confirma estar recebendo pressões de associados da AMAT para trabalhar, politicamente, pela aprovação do empréstimo, junto a cada deputado estadual.