Hiroshi Bogéa On line

Bananas para os "de fora"

Duzentos e cinquenta e três candidatos a deputado estadual “de fora” abocanharam 15.527 votos, em Marabá.

Média de 62 votos por candidato.

Dos 96.150 votos válidos, pouco mais de 16% foram canalizados a candidaturas domiciliadas em outros municípios.

84% dos votos validados foram exclusivamente confirmados a nomes com título eleitoral marabaense.

Comprovação de que o eleitor municipal consagrou a fidelidade a quem vive o dia a dia da população.

Excelente avanço, considerando os quase 40% reservados aos candidatos “de fora”, na  última eleição.

Talvez o alto índice de fidelização do voto deva-se aos “fenômenos” Tião Miranda e Irismar Sampaio.

Ambos seguraram  46% do eleitorado.

Outros nove candidatos locais amarraram 38% dos votos válidos

Post de 

23 Comentários

  1. Goreth Valério da Costa

    12 de outubro de 2010 - 02:48 - 2:48
    Reply

    A questão é bem mais profunda que não votar em forasteiro.Numa eleição para deputado estadual/federal precisamos priorizar pessoas que se comprometeram com esta cidade que apresentaram propostas ou possuam um "Know Hall" dentro da sociedade marabaense. O Asdrubal não é filho de Marabá, a Bernadete , a Elza Miranda e a Irismar também não.O que se discute aqui é quem é capaz de defender os interesses de Marabá e região na AL. Se o senhor Macarrão quer ser prefeito que venha primeiro se instalar aqui e deixar que o povo de Marabá faça a prova dos nove com ele.Entendo que talvez o seu partido não tenha um nome em Marabá capaz de enfrentar os possíveis candidatos aparelhados que apraceram em 2012. Mas aparecer por aqui só pra tentar enganar o povo e conseguir voto é que não é justo.
    Hiroshi eu não sei a votação deste senhor na cidade na qual ele foi prefeito mas isso demonstra com que tipo de político estamos lidando. Se for reprovado lá porque o acolheremos aqui? Temos um exemplo a 50 km daqui onde o povo elegeu um prefeito que havia sido reprovado numa cidade do Tocantins, e olha que o Hiroshi avisou quem era o sujeito, e veja bem no que deu; o sujeito numa canetada só deixou 272 pais e mães de famílias devidamente concursados desempregados (bárbarie contida nos tribunais graças a mobilização da sociedade e da imprensa).

  2. Anonymous

    11 de outubro de 2010 - 00:42 - 0:42
    Reply

    Aliás, Sr. Anônimo ou será o próprio Maca ? Os políticos há muito, estão com o conceito honestidade em baixa, com raríssimas exceções. De resto suas atuações são como de qualquer outro político, buscando febrilmente, poder e influencia, sendo, o eleitor despolitizado, meramente usado como meio para atingir os fins. Tal prática, é a chamada Lei de GERSON (Trí-campeão mundial), que visa sempre levar vantagens sobre os outros. É o ludibrio do mais esperto – não necessariamente o mais inteligente – pelo menos – condição que remete o ser humano à condição de humilhação/degradação, por um semelhante, destituida assim, dos mais comezinhos principios de relacionamento humano. Em 10.10.10, Marabá-PA.

  3. Anonymous

    10 de outubro de 2010 - 20:31 - 20:31
    Reply

    Isso mesmo, não interessa de onde seja a pessoa, o que precisamos é de políticos que tenham compromisso com a funçao pública, com o dinheiro público, com o cidadão, com a lei, que venham para contribuir e não para tirar. O problema está nos que querem vir para cá e não preencheem esses requisitos, já que aqui em Marabá esse tipo já está "saindo pelo ladrão".

  4. Anonymous

    10 de outubro de 2010 - 15:01 - 15:01
    Reply

    Ô das 17:06 hs., que falem os miseraveis carvoeiros de Tailândia-PA., explorados por Macarrão direta/indiretamente. Quanto à análise/depoimento favoravel ao citado, dos peemedebistas locais, puro corporativismo; logo, de duvidosa crença e validade. Disse e repito, é direito que assiste a qualquer de nós, inclusive à pessoa citada, submeter seu nome às urnas marabaenses. Que o faça, se assim for seu desejo. Em 10.10.10, Marabá-PA.

  5. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 20:06 - 20:06
    Reply

    08.10.10 diz: "tirando votos de candidatos que têm comprometimento com o município e região"

    Você poderia citar 5 candidatos comprometidos com essa cidade?

    …4 …3 …2 … pelo menos 1!

    Aproveita também e diz, se você conhece, qual desses eleitos que não abriu os bolsos para "conquistar" o voto do honesto eleitor.

    Você entende então que os eleitos aqui e em suas respectivas cidades não u$aram de recur$o$ para per$ua$ir ao eleitorado, de forma que consegui$$em seu intento e que todos eles tiveram voto$ con$ciente$, $em nenhum intere$$e qualquer por parte de$$e$ eleitores conscientes e comprometido$ com a coletividade?

    A meu ver tanto faz ser filho natural, adotivo, forasteiro, migrante, maranhense, baiano, paulista, mineiro, gaúcho, capixaba, cearense, pernambucano, paraibano… etc!

    Se tiver caráter, pode vir até de Marte. Mas se for sem caráter, basta aos que aqui já temos.

  6. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 18:57 - 18:57
    Reply

    Ô das 12:56 hs., mas é justamente do que se fala, a despolitização da maioria do eleitorado que, desinformado, aceita trocar seu voto por sc. de cimento, carrada de aterro, telha etc… É a seara onde candidatos como macarrão e outros apostam, e se dão bem, tirando votos de candidatos que têm comprometimento com o município e região. Aliás, antes e agora, durante esse "boom" de empresas chegantes à Marabá, considerando as perspectivas alvissareiras, é mais quem quer,aquí se instalar. Não conheço macarrão e mais, por isso mesmo, só se está alertando os mais desavisados. Empresários, em sua maioria, só visam o lucro e, às vezes, o aplicam em outros locais. De qualquer forma, fica avisado o Sr. Jasper, caso queira submeter seu nome às urnas marabaenses – é seu direito – que o faça. Em 08.10.10, Marabá-PA.

  7. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 18:56 - 18:56
    Reply

    Melhor votar em Macarrao do que votar em candidadtos da estirpe do Tiao Miranda.

  8. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 18:42 - 18:42
    Reply

    Coisa mais do que normal e legal, qualquer morador desse imenso estado paraense sair candidato a estadual ou federal e ir pedir e pegar votos em outras cidades desse mesmo estado.

    Mas aqui não!

    Bastou isso, que para alguns é uma invasão, para reacender na grande maioria de moradores da cidade o velho complexo de vira-lata.

    Durme-se com um barulho desses!?!?

  9. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 17:07 - 17:07
    Reply

    Anônimo das 15:56, você poderia nos ensinar a votar?

    Porque até onde sei, ninguém sabe votar. Podem até pensar que sabem. E muitas vezes confundem saber votar com o votar por conveniência.

    Em qual dessas categorias você se enquadra?

    E quantos aos demais, todos descendentes de migrantes que acreditam que a cidade começou agora, depois de seus nascimentos, menos, menos…

    Vamos ao debate, mas deixando de lado as alienações impostas pelos cacique políticos que botaram isso de forasteiro, paraquedista e etc nas suas cabeças. Libertem-se.

  10. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 15:56 - 15:56
    Reply

    Então, marabaenses, vocês precisam aprender a votar, caso contrário serão sempre colonizados por forasteiros.

  11. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 15:27 - 15:27
    Reply

    Deixem o homem mudar para Marabá e candidatar-se. Se até um dos ilustres filhos de Marabá já assinou embaixo e estendeu o tapete vermelho, então qual o problema dele se candidatar aqui?

    É mais um para somar. Ora, ora!

  12. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 04:17 - 4:17
    Reply

    Ô das 1:?38 hs. as questões não são forasteirismo, preconceito etc… Já estamos cansados de "oportunistas" de primeira instancia. Se macarrão se deu bem em Tailândia, o que o traz â Marabá ? Que curriculum eivado de serviços têm a apresentar ? É simplesmente um – dos maus – representantes do capitalismo selvagem, imposto naquela cidade(Tailândia), e que, agora quer se instalar por aquí. Estamos de olho. Em 08.10.10, Marabá-PA.

  13. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 02:09 - 2:09
    Reply

    Tiririca, o campeão de votos, diria que vocês, xenófobos de todos os matizes, são uns abestados. Nesta terra "de todos", que o maranhense Francisco Coelho começou em seu barracão há quase cem anos, pregar o voto para "os daqui" contra "os de fora", numa eleição estadual, é de uma burrice sem par. Vejam só: a maioria votou em Tião. Isso teria sido bom para Marabá? Ele, que alardeia aos quatro cantos da cidade, que está rico, mas não explica como amealhou tamanho patrimônio em tão pouco tempo. No entanto, Lula e Ana Júlia, que não nasceram nem vivem em Marabá, fizeram muito mais por esta terra que muito marabanese que tem o umbigo enterrado nas barrancas do rio Tocantins.

  14. Anonymous

    8 de outubro de 2010 - 01:37 - 1:37
    Reply

    ô das 17:38 aqui também não é terr de ninguém! Pra qualquer um vim querer cantar de galo no terreiro de Chico Coelho.

  15. www.ribamarribeirojunior.blogspot.com

    8 de outubro de 2010 - 01:34 - 1:34
    Reply

    Quero ver se ele vai ter a cara de pau de vir se meter a besta aqui.

    Eleição pra prefeito é outros 500!!!

  16. Quaradouro

    8 de outubro de 2010 - 01:00 - 1:00
    Reply

    O aventureyro das 17:37 se queymou. Se não é o Macarrão em pessoa, deve estar metendo a mão no bolso dele.. eheheheh

  17. José Coruja da Silva

    8 de outubro de 2010 - 00:28 - 0:28
    Reply

    Correção: "…que faz tremer a pobre Tailândia".

  18. José Coruja da Silva

    7 de outubro de 2010 - 23:47 - 23:47
    Reply

    Bem, amigo, se você defende tanto assim esse "Macarrão" deve saber muito bem de que se trata. E, se sabe, é da laia dele… Para você e ele tenho a dizer o seguinte: que venham os estrangeiros, mas aqueles que possam trazer alguma coisa edificante e não estender até aqui os doimínios do "Império do Medo" que faz tremer a pode Tailândia.

  19. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 20:38 - 20:38
    Reply

    Marabá não é de vocês. O Pará também não. Vocês tratam as pessoas que não são dai como forasteiros. Estimulam o preconceito. Do alto de sua presunção acham que são donos do município. Marabá é de todos, é do Pará, do Brasil. Esse discursozinho de vocês está caduco, não passa de provincianismo.

  20. Quaradouro

    7 de outubro de 2010 - 20:29 - 20:29
    Reply

    Se mal pergunto, das 15:13, QUEM É PAULO JASPEN? ALGUM IRMÃO DO JASPION?
    SANTO DEUS!!!!!

  21. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 20:28 - 20:28
    Reply

    Até que seria interessante. Senão vejamos. Macarrão prefeito, Asdrubal ajudando na alocação de verbas em Brasília para Marabá – o que sempre fez, independente coloração partidaria. Dizem que Macarrão mantem negocios no município, gerando empregos. Porém, não teria meu voto nem de consideravel parcela de eleitores. Acho que as prioridades de candidaturas estariam invertidas. O Dep. Federal sim, teria uma maior aceitação para candidato à prefeito, por, digamos, direito adquirido(votos). O Sr. Tião em abrindo mão para o suplente, de metade de seu mandato como Dep. Estadual, e candidato à PMM, será um adversario formidavel para qualquer que se apresente contra, considerando sua expressiva votação em Marabá. É o que penso. Em 97.10.10, Marabá-PA.

  22. Quaradouro

    7 de outubro de 2010 - 20:26 - 20:26
    Reply

    Não duvido de seus números, caro. Só não engulo mesmo a votação dada ao Macarrão (cuja história todos conhecem em Tailândia, terra de ninguém)entre nós.
    Com eleitor desse tipo, vamos continuar na merda.

  23. Anonymous

    7 de outubro de 2010 - 18:13 - 18:13
    Reply

    "MACARRONADA POLÍTICA

    Em contraposição, principalmente entre parceiros de primeira hora da candidatura de “Macarrão”, na cidade, a certeza é de que o rapaz “é uma nova liderança” política de Marabá, montado na representatividade concedida por 2.625 votantes.

    Pelo menos foi isso o que disseram Asdrubal Bentes, deputado federal reeleito com mais de 50% dos votos dos marabaenses, e o ex-prefeito Nagib Mutran Neto, ambos do PMDB, durante a “carreata da vitória”, terça-feira, na qual estiveram ao lado de Macarrão sobre um trio elétrico percorrendo ruas da cidade.

    Entre eles, forma-se consenso de que Paulo Jaspen pode ser o nome do partido de Jader Barbalho para disputar a prefeitura de Marabá, em condições favoráveis.

    A carreata prenuncia a formação de alguma corrente para começar a defender o nome de Macarrão como postulante competitivo à prefeitura."

    ————-

    Quer dizer que os paraquedistas bons são somente os trazidos de fora, nos braços dos filhos adotivos e naturais da cidade?

    Será que a frase "muro baixo" nos diz alguma coisa?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *