Aurélio Goiano pode ter também registro de candidatura a deputado federal por Parauapebas cassado

Outro pré-candidato a deputado federal por Parauapebas parece que também está com os dias de campanha contados.

Agora no início de agosto, a Justiça Eleitoral julgará ação de perda de mandato de um recurso impetrado pelos advogados de Aurélio Ramos de Oliveira Neto e José Ramos de Oliveira, conhecidos como Aurélio Goiano e Zé Latinha, ambos radialistas na cidade.

Aurélio Goiano (foto) é vereador em Parauapebas

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) condenou os dois  por divulgação de pesquisa irregular,  onde o Aurélio Ramos  aparecia em primeiro lugar.

Multa de mais de R$ 53 mil para cada por divulgar dados de pesquisa eleitoral não registrada na Justiça Eleitoral em programa de rádio no município de Parauapebas, apontado como “Divulgação de Pesquisa Irregular”.

A Juíza Federal, Carina Cátia Bastos de Sena,  no despacho afirma que os radialistas utilizaram expressamente a palavra “pesquisa” quando veicularam percentuais que tratavam sobre o cargo de deputado federal nas eleições 2022 no Pará que havia sido veiculado num site de notícias de Canaã dos Carajás, embora os radialistas tenham se defendido que tratava-se de mera enquete.

Em vários trechos do programa apresentado por Aurélio Goiano e Zé Latinha dava-se a porcentagem entre os dois candidatos da enquete, dando grande vantagem para Aurélio, em relação ao outro candidato, Keniston Braga. Em alguns momentos eles revelavam até o número de pessoas que votaram na enquete.

“Em parecer de ID 21010706, o Paquet Eleitoral manifestou-se pela procedência da representação, para confirmar a liminar que determinou que os representados se abstivessem de divulgar suposta pesquisa eleitoral e, no mérito, aplicar a multa por divulgação de pesquisa eleitoral sem o devido registro prévio”, apontou o relatório.

“É comum que as pesquisas eleitorais, por meio de divulgação de dados falsos, sejam utilizadas para manipular o eleitorado, visto que, em geral, o eleitor tente a votar em candidatos candidatas que liderem pesquisas”, esclareceu o TRE-PA, que julgou a procedência da ação à unanimidade.

Inconformados, os radialistas recorreram da decisão do TRE-PA para o Tribunal Superior Eleitoral TSE, mas a presidente do TRE-PA, Desembargadora Luzia Nadja Guimarães, negou seguimento ao recurso eleitoral por não preencher os pré-requisitos legais. Com a decisão, permanece a condenação de R$ 106.410,00 mil reais para os radialistas Aurélio Goiano e Zé da Latinha. (Com informação do Jornal Pará)