Hiroshi Bogéa On line

Audiência Pública

Comentário enviado por  “Sociedade Organizada” esclarece sobre a movimentação de vereadores e algumas estidades populares pedindo o adiamento da Audiência Pública marcada para debater a instalação da Alpa, em Marabá.

Segue em caixa alta, infelizmente, para respeitar a integridade do comentário:

CARO HIROSHI,

PELO VISTO VOCE ESTA ALHEIO AO QUE ESTÁ ACONTECENDO NESTES ULTIMOS 3 DIAS NA CAMARA MUNICIPAL.

TALVEZ A SUA FONTE NÃO SEJA IMPARCIAL NO QUE DIZ TOCANTE A ESTE PROCESSO.

CONVIDO VOCE E SEUS LEITORES A IREM HOJE A NOITE A CAMARA MUNICIPAL PARA OUVIR DA SOCIEDADE ORGANIZADA AS RECLAMAÇÕES SOBRE ESTE PROJETO OBSCURO DA VALE, GOVERNO DO ESTADO E ACIM.

EM PRIMEIRO LUGAR, PARA SEU CONHECIMENTO FOI A SOCIEDADE ORAGANIZADA QUE PROCUROU A CAMARA MUNICIPAL ANTES DO NATAL PARA SOLICITAR UM ADIAMENTO DESTA AUDIENCIA MARCADA PELA SEMA ESTADUAL NO DIA 30 DE DEZEMBRO, ONDE VC MESMO ESCREVEU AQUI NO BLOG QUE NAO ESTAVA EM MARABÁ – ESTAVA COMO MUITOS OUTROS DE FERIAS E ENCONTRARIA COMO MUITOS QUERIAM A AUDIENCIA PUBLICA VAZIA DE CIDADAOS MARABAENSES E AUTORIDADES DO MP ESTADUAL E FEDERAL EM RECESSO, ALEM DOS DCE ESTUDANTIS.

SEGUNDO: O PROJETO DE INTENÇOES DA VALE QUE SE RESUME NO EIA-RIMA SÓ FOI ENTREGUE A CAMARA MUNICIPAL DIA 30 DE DEZEMBRO PELA SEMA MUNICIPAL ONDE PASSOU 3 MESES POR LÁ ENGAVETADA SEM TER A APRECIAÇÃO DO CONSELHO AMBIENTAL E DO CONSELHO DO PLANO DIRETOR, AMBOS DO MUNICIPIO.

TERCEIRO: O CALHAMAÇO ESTÁ NA CAMARA MUNICPAL E DETEM 4 VOLUMES DE 700 PAGINAS ONDE DIZEM QUAL MATRIZ ENERGETICA SERÁ UTILIZADA NO PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO E ENTRE OUTROS, SERVIÇOS DE SAUDE, EDUCAÇÃO E INFRAESTRUTURA QUE PELO PROTOCOLO DE INTENÇOES DA VALE SAO DE TOTAL RESPONSABILIDADE DO MUNICIPIO – CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO.

ENTÃO HIROSHI PEÇO QUE POR FAVOR VC DIVULGUE ISTO PARA CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO. E SIM A SOCIEDADE ORGANIZADA, OAB, ASSOCIAÇÕES DIVERSAS (MORADORES, FETAGRI, FETRAFI, COLONIA Z-30, MST, …) E MORADORES DO MUNICIPIO ESTÃO ENTRANDO COM UMA AÇÃO CIVIL POPULAR PARA ADIAR ESTA AUDIENCIA PUBLICA ONDE COMO DISSE ANTES OS PODERES JUDICIAIS E MP ESTÃO SEM REPRESENTANTES.

OUTROSSIM CONCLAMO VC COMO MORADOR E OS FILHOS DE MARABÁ PARA APOIAR NOSSA CAUSA.

NÃO SOMOS CONTRA A INSTALAÇÃO DA ALPA NEM DO PROGRESSO MAS ALGUMAS SITUAÇÃOES TEM DE SER MELHORES DISCUTIDAS ATÉ A EXAUSTÃO.

SOCIEDADE ORGANIZADA

PRESENTE HOJE NA CAMARA A PARTIR DAS 19:00HS

————————

atualização às 19:40

A sociedade e autoridades estaduais e municipais discutem a instalação do empreendimento Aços Laminados do Pará (Alpa) em audiência pública no município de Marabá, região Carajás, nesta quinta-feira,7. A comunidade e demais interessados têm espaço na reunião para expor opiniões e debater questões ambientais e socioeconômicas para a produção do aço na região.

O município de Marabá, 527 km distante de Belém, tem uma população de 196 mil habitantes que vê a chegada da verticalização da produção mineral. O projeto prevê o início da atividade da usina siderúrgica a partir de 2013 e calcula a geração de 21 mil postos de trabalhos nas fases de implantação e operação do empreendimento.

A Alpa, de responsabilidade da empresa Vale, visa à implantação da Usina Siderúrgica Integrada com capacidade para a produção de 2,5 milhões de toneladas de placas de aço por ano. O investimento previsto é de 3,7 bilhões de dólares, equivalente a cerca de 6,3 bilhões de reais.

O minério de ferro extraído da Província Mineral de Carajás chegará pela estrada de ferro. O carvão mineral e demais insumos pelo Terminal Fluvial, que deverá ser instalado às margens do rio Tocantins. O escoamento da produção também deve ser feito por este terminal.

A área destinada à Alpa é de aproximadamente 1.035 ha, com 253,71 ha destinados para as construções siderúrgicas e a infraestrutura necessária, incluindo a área determinada diretamente à produção. O projeto reserva outros 60 hectares para a Linha de Transmissão de energia elétrica.

O Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA/Rima) da Alpa foram apresentados à Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará no dia 10 de dezembro de 2009.

_________________
Serviço
Data: 07.01.2010
Hora: 14h
Local: Auditório da Secretaria Municipal de Saúde Eduardo Bezerra – Rodovia Transamazônica, Agrópolis do Incra – Bairro Amapá.

Fonte: Ascom/Sema
Post de 

1 Comentário

  1. Anonymous

    7 de janeiro de 2010 - 17:33 - 17:33
    Reply

    Chegou a vez de Marabá,tão esperada por gerações e gerações de desbravadores ,que deram o "ponta pé" inicial.Vamos todos ser beneficiados,vamos todos trabalhar muito e seremos compensados de acordo c/nossos indices de produtividade.Para os chorões,aqueles que são revoltados c/o mundo,detestam a oportunidade de subir na piramide social,que fiquem comendo migalhas a vida toda. A quele ditado serve:"QUEM TEM MEDO DE CAG…,. NÃO COME"

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *