Hiroshi Bogéa On line

Arrastões levam pânico às ruas de Belém

 

Doca

A tranquilidade da noite de domingo, em Belém, foi quebrada, depois das 23 horas.

Quem mora em apartamentos, nas proximidades da Praça da República, e da Doca de Souza Franco, pode constatar, do alto dos prédios, a correria de pessoas,  gritos, carros conduzidos em louca disparada e o barulho de quebradeiras.

Pelo WhatsAppp, a família do pôster o informava,  de Belém, que poderia estar havendo algum tipo de arrastão, na Doca (foto), porque lá embaixo via-se confusão e até som de tiros.

Logo depois, confirmava-se o alarme dos familiares:  arrastões promovidos por bandidos  ocorriam, simultaneamente, na Doca, Praça da República, e ruas adjacentes.

Na Doca, um dos pontos tradicionais  da família belenense, o restaurante Xícara da Silva serviu de palco para a ação tresloucada dos marginais, que atacaram frequentadores à porta.

Bar do Parque 2O banditismo seguia com mesma intensidade na Praça da República, principalmente nas imediações do Teatro da Paz, onde pontua o poético Bar do Parque (foto)  – na noite de domingo, transformado em palco de guerra.

A ação foi planejada, e pegou autoridades de surpresa.

A reação da polícia, de tão lenta e desproporcional à magnitude dos atos criminosos, ineficaz.

O número pequeno de policiais militares não foi suficiente para pelo menos efetuar a prisão dos agressores.

Suspeita-se, segundo uma autoridade ouvida pelo blog, de coordenação do movimento por quadrilhas orientadas por organizações criminosas.

Post de 

1 Comentário

  1. Ulisses Silva Maia

    28 de outubro de 2013 - 15:51 - 15:51
    Reply

    Isso só demonstra ao povo da Região Metropolitana o que a muito nós, das Regiões Sul e Sudeste sabemos: “o Governo do nosso Estado não dá conta de governar o Pará”. A questão é que agora as mazelas sociais, na Região Metropolitana, se afloraram de vez. Infelizmente essa é nossa realidade. Mas talvez seja o momento do Prefeito Zenaldo Coutinho dar uma resposta e uma solução pra tudo isso.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *