Hiroshi Bogéa On line

Aplaudindo educadores dedicados

 

 

Batalhando em favor da educação de jovens na Vila São José, distrito localizado a 8 km de Marabá, a educadora Evilângela Lima tem externado aqui no blog, como colaboradora, sua visão do processo árduo de levar conhecimento à juventude. O trabalho que ela realiza, silencioso, honesto e dedicado, ao lado de uma equipe também não menos devotada,  traduz o sentimento de que nem tudo está perdido, quando o tema é a Educação no Ensino Fundamental.

E quem atesta isso é a educadora Marilza Oliveira Leite, que durante 30 anos dedicou-se também à vida educacional de Marabá.

Em vibrante depoimento na caixa de comentários do post   Me namorando, Marilza reconhece a importância de Evilângela na formação de jovens marabaenses.

 

 

– Evilangela, seu texto é emocionante e me deixou extremamente orgulhosa por saber que uma pessoa do seu gabarito faz parte do quadro de professores da rede municipal de ensino. Somente agora li seus artigos, são ótimos! A história que você reproduz faz parte do cotidiano das nossas escolas, da nossa vida de educadores. Durante 32 anos trabalhei na rede pública de ensino, por opção, por entender que poderia fazer ”algo mais”. Seria minha contribuição à sociedade. Ledo engano. Hoje sou consciente que muito mais aprendi do que ensinei. Os milhares de jovens que passaram pela minha vida deixaram suas marcas, suas lições e saudades. Trinta e dois anos depois, minha análise é que esse tempo não foi suficiente para fazer ”algo mais”. As mazelas são tantas, que impera em meu coração o sentimento de impotência. Mas alegra-me profundamente saber que pessoas iguais a você estão inseridas no contexto da ”EDUCAÇÃO”. Parabéns!

Post de 

1 Comentário

  1. Evilângela

    7 de fevereiro de 2012 - 15:16 - 15:16
    Reply

    Professora Marilza;
    Sinto-me honrada em receber seu elogio. Sua história de educadora é um exemplo para todos nós. Não a conheço pessoalmente, mas a conheço de ouvir falar, de “bem” ouvir falar. Quantas vezes desejei ter sua firmeza e coragem! Não sei como ser uma boa professora, diretora, amiga, mulher, mãe… vou aprendendo enquanto faço (e nem sempre acerto), vou ouvindo conselhos (amo ouvir conselhos) de quem já fez, e fez bem feito. Tão bem feito que ninguém poderá apagar, esquecer. Como vc, Marilza, uma vitoriosa educadora na história de Marabá.
    Obrigada, sempre será uma grande EDUCADORA. Ainda há muito a ser feito, contamos, eu conto, com a sua ajuda.
    Beijos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *