Hiroshi Bogéa On line

Aos fatos 2

O trabalho do Ministério Público destrinchou novelo cuja ponta escondida não aparentava sua verdadeira extensão. Sobrou até para fazendeiros e grupos empresariais.
Descobriu-se, por exemplo, que no período noturno o comando do 4º BPM autorizava a formação de grupamento armado de policiais militares para dar segurança no entorno da Fazenda Mutamba, distante 40 km de Marabá, de propriedade do industrial Aziz Mutran.
Durante o período de 2005 até outubro de 2006, a cada quinze dias, grupamento de três PMs fardados se revezava cumprindo escala na propriedade rural ganhando cada um R$ 350,00. Os promotores José Edvaldo e José Luiz Brito Furtado, pessoalmente, constataram a presença de policiais na fazenda durante investida realizada numa noite de 20 de outubro passado.
Para o Grupo Leolar, conglomerado empresarial com quase meia centena de lojas de eletrodomésticos espalhadas pelo Sul e Sudeste, policiais prestavam serviços fazendo segurança particular e transporte de valores.

Post de 

2 Comentários

  1. hiroshi

    16 de março de 2007 - 20:49 - 20:49
    Reply

    Caro Diálogo Socialista, mas já teve recuo da turma. Dizem que os oficiais denunciados propuseram se afastar para aguardar o resultado das invetigações e o comando da PM não aceitou. Li a pouco na Agência Pará matéria dando conta de que os dois coroneis prometem “colaborar” enquanto forem investigados. Ou seja, vai dar em nada.

  2. www.ribamarribeirojunior.blogspot.com

    13 de março de 2007 - 19:24 - 19:24
    Reply

    O MP está de parabéns por mas essa atuação, e é importante salientar que isso vem occoreendo a muito tempo, basta a gente andar a noite que vários espaços de festas particulares contam com a presença da PM fardada fazendo bico, inclusive fiz essa denuncia nos primeios dias do Governo Ana julia. Esdperamos agora que o Coronel Coelho seja exonerado do cargo de Chefe da Casa Militar e que a governadora tenah pulso firme para coibir tais irregularidade e garantir a segurança para TODOS.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *