Anarquia na estrada

Publicado em 24 de agosto de 2007

Quem viveu o desconforto de mais de 12 horas preso na rodovia Pa-150, entre Jacundá e Goianésia, bloqueada por trabalhadores rurais, refere-se aos manifestante com expressões do tipo “arruaceiros, delinqüentes e marginais”. Pelo menos essa a reação de uma senhora de 62 anos, que seguia rumo a Belém para tratamento de saúde e teve seu estado agravado à beira da estrada. Quem a salvou foi um comerciante de Jacundá ao colocá-la no interior de seu carro e retornar por cerca de 30 minutos de marcha à ré (o congestionamento de 3 km impedia manobras no leito da rodovia), até posicionar o veículo em condições normal para fazer a viagem de emergência até Marabá, onde a enferma foi atendida no Hospital Regional.

A estrada foi desobstruída… por enquanto.
O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Goianésia deixou claro que se o Incra não enviar representante, até segunda (27), para analisar as reivindicações dos assentados, a Pa-150 volta a ser fechada pelos donos do pedaço.
O gostoso de tudo isso é que as autoridades adoram assistir ao circo. Batendo palmas.