Hiroshi Bogéa On line

Ana no Pebas

Ana Júlia confirmou sua ida a Parauapebas. Na quinta-feira, 26,para despachos administrativos.

No embalo, a governadora senta-se à mesa com Darci Lermen e com a turma do vereador Wanterlor Bandeira, a maioria do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores que derrotou em prévia a pré-candidatura à reeleição do prefeito do município.

Essa dor-de-cabeça partidária não estava na agenda do governo do Estado.

Post de 

6 Comentários

  1. Anonymous

    26 de junho de 2008 - 22:35 - 22:35
    Reply

    Na tentativa de acabar com a disputa interna e deixar o prefeito concorrer sozinho na convenção, nesta terça-feira (24) Wanterlor Bandeira apresentou a Darci Lermen uma proposta de remanejamento de cargos na atual administração.

    Na proposta de Wanterlor, Darci concorreria a eleição como cabeça de chapa (prefeito) e o vereador como vice de Darci. De imediato, Antonio Neto seria trocado na chefia de Gabinete por Lindolfo. Na Secretaria de Educação (Semed), Raimundo Neto deixaria o cargo para assumir a Procuradoria Geral do Município, no lugar de Hernandes Margalho, que seria exonerado. A Semed ficaria para ser negociada posteriormente.

    Na Secretaria de Assistência Social (Semas), José Coutinho seria demitido e substituído por Índio Teixeira. Na Secretaria de Produção Rural (Sempror), Carmelita Félix seria exonerada e cedia a vaga para Milton Schneider. Nesta situação, a Secretaria de Fazenda (Sefaz), hoje ocupada por Milton Schneider, seria ocupada por Wagner Cadeu.

    A Assessoria de Comunicação (Ascom) permanecia na coordenação de Alexandre Magno. Por outro lado, na Secretaria de Obras (Semob) João Fontana seria exonerado e a vaga cedida a Parazinho do MST; enquanto que a Secretaria da Mulher (Semmu), hoje comandada por Lia Miranda, seria administrada por Tarcilena Estumano.

    Com relação a partidos, Wanterlor sugere que o PDT continue no comando da Secretaria de Saúde (Semsa), mas com Josenilson Gomes; o PSC mantendo os atuais espaços; o PCdoB ficaria com a Coordenadoria de Esporte; e o PPS entraria em negociação.

  2. José Eduardo

    26 de junho de 2008 - 21:29 - 21:29
    Reply

    A Comitiva veio, inaugurou algumas obras, selou um acordo com o Vereador Wanterlor,houve a troca do Presidente do PT Milton por Zezinho do PT, a troca do Secretário de Ação Social e tudo voltará à normalidade. O discurso é que isso serviu para fortalecer o Partido, que em nome da sensatez faço o que faço e outras jóias parecidas. Realmente isso serviu para movimentar a política local por uma semana já que estava muito parada e serviu tbm para colocar em evidência o nome de Wanterlor que estava meio apagado por um mandato fraco em uma Câmara fraca. Busquemos outros assuntos. Com certeza aparecerão.

  3. Anonymous

    26 de junho de 2008 - 13:05 - 13:05
    Reply

    Alô, amadores,

    Vcs acham que a governadora viria a um município para sofrer este tipo de constrangimento? O problema já está certamente resolvido. Quem não conhece o PT fica espantado com esse tipo de coisa, mas faz parte da matéria constitutiva do partido, está no seu DNA. Lembrem-se: Lula teve que ganhar, no processo eleitoral interno, do suplicy, no ano em que ganhou a primeira eleição. O PT, com todos os seus erros, é uma grande contribuição à história política do país. Nunca houve na história da esquerda brasileira um organismo partidário que abrigasse tanta contradição e, por essa dialética, produzisse tanta hegemonia. Há, em todo grotão deste imenso país, um sindicato, uma associação, um acampamento de sem-terra, um gabinete de vereador … exalando uma cultura “petista”. A corrupção e os métodos heterodoxos concorrem a contaminar este projeto, mas não é, ainda – e espero que nunca seja – , o que marca a contribuição do PT na nossa história contemporânea.

    Olhar a história com certo afastamento é um bom método epistemológico. Sem paixão, analistas, sem paixão.

    ps: parece incrível, mas não sou petista.

  4. Anonymous

    26 de junho de 2008 - 04:29 - 4:29
    Reply

    Para quem não sabe, esse debate e natural em um Partido Democratico e socialista – PT, veja se na historia de PArauapebas alguma vez a estadual interviu impondo provisoria no partido. O partido tem condições propria de resolver no dialogo o seus problemas interno e pra quem não sabe, o partido saiu muito mais forte deste discurso, fortalecendo ainda mais a candidatura a Prefeito do Darci, agora que venha Bel, Valmi e outros irão v quem tem militância para fazer campanha e quem é realmente do lado da classe menos favorecida. Até a vitória vermelha

  5. Anonymous

    25 de junho de 2008 - 18:03 - 18:03
    Reply

    ANA,

    A agenda da governadora terá que começar a abrir espaço pra esse tipo de problema. Pois se ela vier com apoio inondicional ao prefeito, ela se sairá muito mal em Parauapebas.

    É bom ela se interar das coisas, antes de qualquer ação.

    A não ser que ela se acredite capaz de bancar uma união do PT local. Cacife ela deve ter.

  6. Anonymous

    25 de junho de 2008 - 16:13 - 16:13
    Reply

    Prezado,

    Parece que o PMDB Goiano está praticando mais a democracia, ao respeitar a vontade dos filiados e o estatuto do partido , que o PT PARAOARA.
    Afinal, os filiados do PT de Parauapebas partidários da candidatura WANTERLOR BANDEIRA ( o Obama Paraoara) estão sofrendo todo tipo de ameaças e perseguições por parte do Prefeito e sua trupr (João Fontana e Margalho) e também do PT estadual.
    Que feio!

    Abraços,

    Renato Amorim

Leave a Reply to Anonymous

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *