Ana Júlia diz que eleição de João Salame “é o melhor para Marabá”.

Publicado em 2 de julho de 2012

 

 

A ex-governadora Ana Júlia e o deputado federal Cláudio Puty, ambos do PT, desembarcaram hoje, 2, cedo,  em Marabá, e foram direto tomar café com o deputado João Salame (PPS), candidato a prefeito numa coligação formada por oito partidos.

O encontro ocorreu na residência de Salame, tendo como acompanhantes o candidato a vice-prefeito Luis Carlos Pies (PT), a deputada estadual Bernadete ten Caten (PT), vereadora Toínha Carvalho (PT) e o candidato a vereador “Marcelo do PT” – além de Abiancy Cardoso, suplente de senadora e esposa de Salame.

Em sua primeira entrevista, Ana Júlia declarou seu apoio a chapa João/Luís Carlos, destacando a eleição de ambos como real garantia de que a construção da Alpa e da hidrovia do Tocantins será perseguida como meta prioritária, além das facilidades de efetivação de parcerias entre a prefeitura de Marabá e o governo federal.

“Com o João e Luis Carlos na prefeitura, o governo da presidenta Dilma Roussef estará presente em Marabá através dos diversos programas de investimentos, principalmente obras do PAC nas áreas de habitação, infraestrutura e a viabilidade definitiva do polo metal mecânico”, disse Ana, lembrando da luta que ela travou, junto ao ex-presidente Lula , quando era governadora, para que a Alpa fosse definida como projeto de investimento da Vale.

“O que se observa agora, é um governo do Estado que virou as costas para Marabá, deixando de lado a luta pela hidrovia e até mesmo o pagamento de desapropriação do chamado Lote 11, para dificultar  a liberação definitiva da área do Distrito Industrial 3 e, consequentemente, inviabilizar o projeto de verticalização da economia de Marabá. Quando eu era governadora, realizei mais de vinte viagens a Marabá, sempre procurando contatos que viabilizassem a Alpa e ações voltadas a expansão de obras de saneamento e água potável da Cosanpa; finquei pé em Brasília, para sensibilizar o presidente Lula a forçar a Vale a incluir em seu orçamento recursos para a Alpa, além de ter criado condições para que a Sinobrás fizesse uma sociedade com a Vale visando a construção de uma grande siderúrgica, a Aline”, relembrou a ex-governadora.

Na avaliação de Ana Julia, “o governo Jatene não tem demonstrado nenhum interesse em consolidar o distrito industrial de Marabá, tampouco a Alpa, e isto é preocupante. Já se passaram quase dois anos do governo dele e o que se vê é essa paradeira total em Marabá, suas lideranças empresariais e de classe preocupadas com o futuro da economia sem que o governador venha pelo menos na cidade dar satisfação do que pretende mesmo fazer para comprovar sua contribuição a favor da hidrovia e da siderúrgica que é o sonho de todos”.

Finalizou pedindo que a população apoie “as candidaturas de João e Luis Carlos, porque essa chapa é a chapa que pode ligar a prefeitura a Brasília, abrindo portas e facilitando a conquista de recursos para o enfrentamento dos diversos problemas que afetam a comunidade. Com João na prefeitura, não tenho  dúvidas, a hidrovia será viabilizada logo e a Alpa construída em tempo recorde”.

Ana Júlia desembarcou em Marabá com a missão de representar o governo federal na solenidade de entrega de 58 retroescavadeiras às prefeituras do Pará  liberadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, com recursos do PAC2.

Á tarde, no Palácio Cabanagem, a ex-governadora participa de reunião com todas as tendências do PT falando sobre a importância da eleição da chapa João/Luís Carlos, para o desenvolvimento de Marabá.

 

Ana Júlia toma café com João Salame