Hiroshi Bogéa On line

Amuado, PMDB da AL bate o pé

 

 

Os deputados estaduais do PMDB estão ouriçados com o governo. Falam em dar demonstração de força nas votações importantes, unindo-se à oposição.

O papo de Jader Barbalho com Jatene ainda não acalmou os mais recalcitrantes.

No fundo, a parada gira em torno da abertura de   mais espaço, na estrutura administrativa.

Usando o linguajar manjado da cambada, eles dizem que falta tratamento adequado à base aliada.

Post de 

5 Comentários

  1. Anônimo

    15 de março de 2012 - 23:06 - 23:06
    Reply

    Carmona mereçe o despreso,é traidor só faltam, dizer que já estão com saudade da Ana Júlia do PT.

  2. Anônimo

    15 de março de 2012 - 23:04 - 23:04
    Reply

    Os caçiques do PMDB,Não merecem confiança,trairam o PT é a Ana Júlia,com Jatene só na Mão.é melhor negociar com varios partidos do que dá asa para o PMDB.

  3. Km 07

    13 de março de 2012 - 11:19 - 11:19
    Reply

    O problema maior é que o PMDB tem a garganta muito grande nada o satisfaz, ta o exemplo recente, comeu junto com o PT por dois mandatos em Parauapebas agora no final a toda poderosa Elcione Barbalho vai la e determina que entregue todos os cargos, com a ameaça quem não entregar será expulso. Eita partido que tem canalhas, tambem poderas comandado logo porquem?

  4. Luiz

    13 de março de 2012 - 00:09 - 0:09
    Reply

    O primeiro a dar a grita foi carmona,que Jatene passou a perna.pois ele fez acordo em apoia-lo em troca do Detran,e até hoje nada,pelo contrario, desembarcou toda equipe de Couto no detran.
    Será que Jatene aprendeu com Ana Julia em não cumprir acordos?

  5. antonio

    12 de março de 2012 - 17:37 - 17:37
    Reply

    Não é só o PMDB. O vice-presidente do órgão inútil, inoperante e balcão de negociação de empregos prá parentes, também não está safisfeito. Perdeu a Asipag, onde reinava a esposa dele, Rosimeire Teixeira, ainda que continue com os irmãos Antonio da Cunha Teixeira e Paulo Cunha Teixeira, nos cargos de vice-diretor e chefe de segurança no presídio de Bragança.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *