Hiroshi Bogéa On line

“Água para Todos”: adiada reunião com prefeitos

A assinatura do termo de compromisso com as prefeituras dos 26 municípios das regiões do Marajó e do Xingu que serão beneficiadas com sistemas de abastecimento do programa federal “Água para Todos” foi adiada. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (9) durante reunião do conselho gestor estadual por necessidade ajustes no termo de compromisso. O encontro, que deveria ocorrer nesta terça-feira (10), ainda não tem nova data marcada. O adiamento não interfere no programa de implantação dos sistemas, cuja primeira etapa inicia este ano.

O conselho gestor estadual do Programa é composto por representantes das secretarias estaduais de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) -responsável pela execução do programa, Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) e Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), além da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e das Federações da Agricultura (Faepa) e dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri).

“Nossa intenção é envolver as prefeituras no desenvolvimento do programa, de maneira que elas participem ativamente não só da fase de execução, mas também e principalmente, das ações de manutenção dos sistemas e de implantação de projetos produtivos e sociais nas comunidades beneficiadas”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hildegardo Nunes.

O programa “Água para Todos” será implementado no Pará pela Sedap em convênio com o Ministério da Integração. Serão instalados sistemas coletivos de abastecimento de água (SCAA) em um investimento total de pouco mais de R$ 21 milhões, em recursos do governo federal, que vai beneficiar quase 7 mil famílias de produtores rurais.

Na região do Xingu serão atendidos os municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu. Já no Marajó, os municípios beneficiados serão Afuá, Anajás, Chaves, Bagre, Breves, Melgaço, Gurupá, Muaná, Portel, Cachoeira do Arari, Curralinho, Ponta de Pedras, Santa Cruz do Arari, São Sebastião da Boa Vista, Soure e Salvaterra. “A implantação dos sistemas de abastecimento é um passo importante para o desenvolvimento da área rural dos municípios, sobretudo na região do Marajó, onde se concentram os mais baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) do Estado”, afirmou Hildegardo Nunes.

Os sistemas de abastecimento serão utilizados para fornecer água tanto para consumo das comunidades quanto para a produção de alimentos e a criação de animais. Significa mais qualidade de vida para a população, não só sob o ponto de vista da saúde e do saneamento, mas também sob o aspecto econômico, gerando novas oportunidades para ampliar a renda das famílias de agricultores beneficiadas.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *