ACIM e Conjove repudiam invasão de terreno

Publicado em 19 de maio de 2015

Por trás do ato de violência que configura a invasão do terreno destinado á construção da Alpa, finalmente, apareceram indícios de que nem tudo está perdido.

Embora as autoridades governamentais não tenham ainda se manifestado para condenar a ação criminosa  – e matar no nascedouro estímulo  à novas investidas do gênero – , é louvável a atitude responsável da ACIM (Associação Comercial e Industrial de Marabá) e do Conjove (Conselho de Jovens Empresários de Marabá)de vir à público repudiar a invasão do lote.

Nota de Repúblcio, a seguir reproduzida, sinaliza que a sociedade está mobilizada para defender seus  interesses maiores.

Aguardemos, agora, a retirada dos invadores da área.

 

NOTA DE REPÚDIO

A ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE MARABÁ (ACIM) e o CONSELHO DE JOVENS EMPRESÁRIOS DE MARABÁ (CONJOVE), repudiam e lamentam a invasão da área destinada a ampliação do Distrito Industrial  de Marabá, localizada às margens da Rodovia Transamazônica, e que foi desapropriada pelo Governo do Estado para a implantação da ALPA.

Por trás da ação de invasão do imóvel, consumada no final de semana, há indícios de interesses escusos que se confrontam com o interesse público, já que a área está reservada para projetos de verticalização produção industrial, configuração de porto público e da geração de emprego e renda à nossa comunidade.

A ACIM e o CONJOVE  entendem esta invasão como uma grave violação à estabilidade jurídica, e lastima suas consequências a curto prazo,  como responsável pelo afugentamento de empreendedores interessados em investir no município, já que nenhuma empresa se sente confortável e segura, para aplicar recursos, tendo as leis desrespeitadas e as áreas destinadas ao surgimento de negócios, invadidas.

Por isso a ACIM e o CONJOVE lamentam o episódio e se mantém firmes na defesa da integridade do território desapropriado, uma vez que sem aquela área, jamais o município terá estrutura física para transformar a região numa nova fronteira industrial do país.

A ACIM e o CONJOVE, paralelamente, apelam para que as autoridades constituídas tomem providências imediatas para retirar os invasores da área ocupada, cortando no nascedouro futuras tentativas de novas invasões em áreas onde o interesse público esteja evidenciado.

ACIM – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE MARABÁ

CONJOVE – CONSELHO DE JOVENS EMPRESÁRIOS DE MARABÁ.