A vergonha persiste

Publicado em 27 de fevereiro de 2009

Antes do carnaval, o olho de lince do velho parceiro Ademir flagrou as presepadas do prefeito de Marabá:

Por conta da insistência de bloqueiros, Maurino teria liberado R$ 42 mil para o carnaval de rua viciado em propina municipal. Na maré da sua habitual prodigalidade com recursos públicos, o prefeito aproveitou para soltar grana também para as igrejas, que vão esconder-se longe da tentação do Satanás fantasiado.