Hiroshi Bogéa On line

A tragédia maior dos blogs que desrespeitam vítimas de suicídios

Muita gente, principalmente familiares e amigos,  ainda  impactada com o suicídio de uma jovem que se jogou – três semanas passadas -, de um prédio localizado em bairro central de Belém, vítima de depressão – agora à tarde, toma conhecimento de mais uma vítima, provavelmente também suicídio.

Uma garota de 33 anos jogou-se do alto do edifício Manoel Pinto da Silva.

Além do impacto que mortes dessa natureza provoca nas famílias, agora a sociedade é obrigada a conviver também com o comportamento equivocado de pessoas que se dizem “formadores de opinião”, responsáveis por blogues que passaram a se especializar em sensacionalismo e postagem de imagens agressivas.

Uma dessas fontes é o blog  Pará Web News que, ao publicar vídeo e fotos de vítimas de suicídios, ainda destaca, acima da imagem postada, a  frase “veja momento da queda”, como fez no post narrando o suicídio da jovem Gabriele, dias atrás.

.Agora há pouco, ao publicar imagens do corpo de uma garota estendido no chão, no edifício  Manoel Pinto da Silva, o texto publicado no mesmo blog faz duas observações, ante a postagem do lamentável vídeo:

Primeiro, diz que as “cenas são fortes” e, em seguida, informa:

– “As imagens abaixo disponibilizadas já circulam pelas redes sociais e não foram captadas pelo site. Alerta que o conteúdo é forte e portanto não deve ser assistido por menores ou pessoas sensíveis a este tipo de conteúdo”.

Ou seja, enquanto muitos publicam nas redes sociais mensagens de solidariedade às famílias das vítimas, outras pessoas, porém, divulgam fotos e vídeos dos corpos destroçados.

Não há indício do mínimo respeito nesses momentos de tragédia.

Suicídio é o ato mais trágico que há no seio de uma família.

Dificilmente o tempo apaga feridas e a dor provenientes de perdas dessa natureza.

Não cabe a desculpa de que o vídeo ou a foto foi compartilhada de redes sociais.

O autor de um blog tem autonomia de editoria para evitar a disseminação dessa praga de compartilhamentos, evitando viralizar o trágico.

Pior é que muita gente parece não saber – ou se faz de desentendida – que compartilhar fotos e vídeos de pessoas mortas vítimas de acidentes ou suicídio é crime.

Está previsto no Código Penal, no artigo 212 e é denominado vilipendio de cadáver e tem pena prevista de um a três anos de detenção e multa.

Esse artigo, segundo especialistas, tem objetivo de tutelar o sentimento de respeito aos mortos.

Ou seja, combate o vilipêndio.

E, para quem não sabe, o  ato de vilipendiar significa aviltar, ultrajar e pode ser praticado de várias maneiras tais como pelo uso de palavras, gestos, e a divulgação de fotografias.

Na esfera cível os familiares que se sentirem lesados com a divulgação de fotografias e vídeos de seus entes queridos podem pleitear indenização por danos morais.

Ademais, o blogueiro aqui entende que temos a responsabilidade de ajudar a combater esse tipo de agressão no seio das famílias vitimas dessas tragédias.

Se podemos evitar a exposição de vídeos e fotos desses tipos de tragédia, em nossos sítios , por que se negar a fazer parte dessa corrente?

Não conheço os autores ou autor do blog Pará Web News.

Certamente podem até proceder com esse estilo de divulgação agressiva sem o juízo da intenção distorcida, só que deixam de contribuir para a melhoria do nível de Jornalismo que o Pará e o País tanto precisam para acalmar os ânimos de uma sociedade dividida, intolerante e cada dia mais agressiva.

Post de 

1 Comentário

  1. Kélia

    24 de setembro de 2019 - 10:50 - 10:50
    Reply

    Aqui na região nem se fala, muitas reportagens que tratam o tema de forma irresponsável.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *