A tara de quem diz pregar o Evangelho

Publicado em 28 de fevereiro de 2013

 

 

Padre tarado

Desde quando estourou o escândalo, está todo mundo careca de saber que  padre Emilson Soares Corrêa, indiciado por estupro de uma menina de sete anos, papava quem entrasse em sua paróquia, lá em Niterói.

O  religioso tarado estuprava meninas que iam rezar, de 7 a 17 anos.

Não levando em consideração a natureza pedófila do pároco, já que esse tema está a cargo da polícia, não dá para engolir também que todas as meninas teriam sido forçadas a ficar com o taradão.

Observem o tamanho dessa moçoila da foto, menina de 15 anos que se diz também vítima de Edmilson, saindo da delegacia onde foi depor.

Ela tem tamanho suficiente para administrar ou  não suas idas à  Igreja Nossa Senhora do Amparo – transformada em cabaré pelo religioso  –  durante mais de ano?

Esse é o tempo que a moça diz ter se relacionado com o padre.

Período suficiente para a mesma recusar suas idas à igreja, não necessariamente para “rezar”.

O certo mesmo, todavia, é que está cada dia mais arriscado entrar numa igreja católica. Ou  evangélica.

Padres e pastores  tarados estão à espreita.