Hiroshi Bogéa On line

A sorte dos nossos colarinho-branco

 

 

A pintura acima foi recolhida no acervo do museu holandês Rijksmuseum. O autor é desconhecido. Mas os personagens dependurados de ponta-cabeça são Jan de Witt e seu irmão, Cornelius.

Os dois foram linchados em 20 de agosto de 1672, em Haia. Jan era a figura política mais poderosa da República holandesa. O irmão Cornelius havia sido sentenciado ao exílio, sob a acusação de ter conspirado para o assassinato do príncipe Guilherme III de Orange. Jan foi visitar Cornelius na prisão e acabaram ambos como na pintura, sem órgãos genitais, narizes e pontas dos dedos.

O signatário do blog resolveu exibir a pintura aqui por duas razões. Primeiro, pela beleza plástica da obra. Segundo, para realçar a sorte de que desfrutam certas personalidades brasileiras que, como Jan Witt, detém grande poder. Jamais terão o destino do personagem.

A alma brasileira, por pacífica, não é dada a linchamentos. De resto, nesta terra de palmeiras e sabiás, e onde não se vê mais castanheiras, poderosos não precisam visitar familiares na cadeia. Os cárceres não foram feitos para eles. Abrigam apenas pessoas meio pretas e muito pobres.

Pressione AQUI para ir até o sítio do museu holandês Rijksmuseum,   que não está na língua portuguesa.

Mas a arte não precisa de tradução,  para sentí-la.

Post de 

2 Comentários

  1. karla Maues

    28 de setembro de 2011 - 23:06 - 23:06
    Reply

    No site do Jornal Pessoal de nosso querido Lucio Flavio Pinto, ele faz um comentário sobre a qualidade da água em Nova York e chega a comparar com a agua que jorra de nossas torneiras.
    Lembrei entao de uma materia vista no programa Cidades e Soluções da GNT em que mostram o total aproveitamento da agua de esgoto de uma determinada cidade americana, tornando-a potável.
    Aqui no Brasil é diferente. Em muitas regiões, proximas de Brasilia, as aguas que chegam às torneiras ( quando chegam) são absolutamente enferrujadas. Isso porque, o dinheiro que deveria ser destinado para o provimento de água, foi desviado não se sabe pra onde.
    As leis, escritas pelos politicos que NÓS elegemos, garantem a impunidade dos gestores das empresas publicas.
    Não tem dinheiro pra pesquisa, nao tem dinheiro pra renovar as instalações hidraulicas, nao tem dinheiro sequer pra contratar técnicos para resolver esses problemas..
    Enquanto estivermos vendendo nossa alma por uma Bolsa Familia, vamos assistir esses escandalos que fatalmente acabarão em pizza, sem saber a quem recorrer. Colarinhos brancos aqui no Brasil são presenteados com a impunidade. A nós resta, anotar o nome de todos esses sabidinhos e não votar nunca mais neles.
    Fiquem em paz!

  2. .....

    28 de setembro de 2011 - 12:39 - 12:39
    Reply

    Voce está coberto de razões quando diz que: ” Os cárceres não foram feitos para eles. Abrigam apenas pessoas meio pretas e muito pobres.”
    No dia 26/09/2011, o Promotor de justiça de Tailândia deu uma visitinha nos supermercados da city. Resultou na prisão de um empresário, dono de uma cadeia de lojas na região ( Tailândia, Marabá, Barcarena, Mojú, Mãe do Rio), e Coordenador Político de um deputado estadual. Mas, o sr. empresário curtiu sua pena fazendo um relax num quarto com central de ar, TV LCD e WI FI no hospital do municipio, mas o buxixo corre que isso não é prisão…..É um SPA!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *