Hiroshi Bogéa On line

A saga do Araguaia

O biólogo Marcelo Filgueiras,  nascido em Alto Taquari, Mato Grosso, é um visitante assíduo do blog, conforme suas próprias palavras. Implacável defensor da integridade ambiental do formoso rio, ele desenvolve em sua cidade campanhas contra o assoreamento provocado, principalmente, pelo plantio em grande escala de soja próximo às margens do curso d´água;  combatendo, também,  a destruição do ecossistema formado pelo conjunto de afluentes próximos às nascentes.

Na realidade, várias nascentes dão origens aos rios. Dezenas de olhos d’águas formam regos, que, incorporando a outros, formam córregos e, finalmente, um rio.

Marcelo enviou  fotos para registrar a transformação o Araguaia, a partir de suas nascentes.

A cerca de1000 metros de altitude, na Serra dos Caiapós, na divisa de Goiás e Mato Grosso, o Araguaia começa a surgir, parecendo uma serpente, com uma sucessão de curvas, tornando-se um conjunto de riachos que invadem as margens no município de Alto Taquari.

No trajeto inicial, muitos obstáculos da natureza seguram seu volume líquido. Pedrais combinam muito bem com a água cristalina descendo a serra em busca do mar.

Antes de expandir-se em largura, ainda em terra matogrossense, o Araguaia toma forma de um grand canyon (na segunda foto abaixo, Marcelo extasia-se diante da natureza)

A riqueza da fauna, com diversidade da espécie de aves e roedores, toma conta dos intocáveis canais que ajudam a engrossar o volume maravilhoso de água do rio.

Até assumir sua estatura caudalosa, desaguando no Tocantins formando a tríplice divisa Pará/Tocantins/Maranhão, no município de São João do Araguaia.  

Um espetáculo das águas.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *