Hiroshi Bogéa On line

A outra versão

O poster assistiu, ontem à noite, imagens do conflito na fazenda Espírito Santo, registradas por um rapaz treinado pelo MST para documentar suas ações no campo. Lá está bem nítido, o trajeto feito pelos invasores num piquete da propriedade sem que haja, interpostos no espaço que separa sem-terras e o grupo de segurança da Agropecuária Sanra Bárbara, as figuras dos repórteres. Quem conhece a área de vídeo, de cara compreende serem originais as imagens de qualidade amadora, sem qualquer indício de edição.

Num giro de 180º feito pela câmera, saindo do amontoado de sem-terras até o local onde se concentram os defensores da propriedade, atrás de veículos e de árvores, depara-se com o cinegrafista da TV Liberal, Felipe Almeida, e outros repórteres, esforçando-se a ficar fora da trajetória do tiroteio.

Se essas imagens forem usadas pelas autoridades, pode cair por terra a versão de que os rapazes da imprensa tenham sido usados pelo MST como escudos humanos.

Post de 

6 Comentários

  1. Anonymous

    27 de abril de 2009 - 20:59 - 20:59
    Reply

    É a turminha NEO-Petista na área, devotos de “Santa”ANA…

  2. Anonymous

    25 de abril de 2009 - 13:21 - 13:21
    Reply

    Qula o interesse em defender esses “membros do MST”? São criminosos,o que fizeram contra a lei foi, no mínimo, invadir uma propriedade,direito que quer queiram ou não é assegurada pela nossa Constituição, além de cometeram o crime de dano ao quebrar o veículo, portar arma sem autorização legal, formação de quadrilha.
    Será que mesmo coma filmagem, com segurança da fazenda baleado, ainda vão continuar argumentando que estavam desarmados? Como é que podem negar um fato incontestável? Essas pessoas não são confiáveis e corroboram agora o que os que querem enxergar já sabem, que são dissimuladas. A parcela maior da culpa pelo fiasco da Reforma Agrária, que não é só ocupação e desapropriação de terra como tem sido feito, é desses movimentos. São eles que apresentam a lista dos que devem assentados ao INCRA, com nomes de pessoas que muitas vezes não tem afinidade nenhuam com o campo, são desempregados ou mesmo descoupados, e querem somente receber cestas básicas e financiamentos, logo depois “vendendo” o lote e passando a invadir outras propriedades.Outro absurdo é os recursos serem repassados para as associações, é uma bandalheira só.

  3. Emerson

    25 de abril de 2009 - 11:47 - 11:47
    Reply

    alguém já tem o link do youtube?

  4. Anonymous

    25 de abril de 2009 - 02:01 - 2:01
    Reply

    DEIXEM DE DEFENDER ESSES VANDALOS. OU O CARRO QUE FOI DESTRUIDO NÃO EXISTIU!

  5. Hiroshi Bogéa

    24 de abril de 2009 - 19:00 - 19:00
    Reply

    A turma é mal orientada, Juvencio. E estimulada pior ainda. Esse problema não tem soluçào, infelizmente.
    Vamos aguardar o You Tube, então pra confirmar tudo o que vi.

  6. Juvencio de Arruda

    24 de abril de 2009 - 17:32 - 17:32
    Reply

    Bravo, Hiroshi!

    —-

    O vídeo já desembarcou em Nova Déli num avião de carreira, claro.
    Um dos mais experientes repórteres paroaras, destinatário do envio, já assitiu e me telefonou.
    Segundo ele, caiu a versão dos coleguinhas.
    Amanhã o vídeo faz uma viagem mais longa, around the world, por assim dizer.
    Pelas asas do YouTube, a versão integral e sem cortes, ganhará o mundo.
    Abs

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *