A matilha morde

Publicado em 16 de outubro de 2008

Vem ver, correndo, os ” bandidos” trocando tiros nas ruas de São Paulo, está sendo mostrado ao vivo.

Ao ser chamado aos gritos, agora a pouco em casa, para ver o que acontecia na televisão, o poster quase entra em estado de choque, com toda sinceridade. Na tela, nao eram “bandidos” como se achava inicialmente, quem trocava tiros, mas as polícias Civil e Militar de São Paulo.

A cena, dramática demais para emoldurar o final de dia de nossa triste realidade, colocou o blogger em demorado estado de reflexão, indagante, sem mais nenhuma dúvida, sobre a verdadeira estrutura moral e profisional dos quadros responsáveis pela nossa segurança pública.

Estava muito inspirado realmente, 35 anos atrás, o inventivo Julinho da Adelaide – Chico Buarque disfarçado -, ao cravar os versos:

-“Acorda amor, eu tive um pesadelo agora. Sonhei que tinha gente lá fora, batendo no portão… Chame o ladrão, chame o ladrão!”