A Justiça tem olhos

Publicado em 10 de outubro de 2007

Nem sempre se pode considerar a Justiça capenga das duas pernas.
De repente, surge um juiz federal para colocar as coisas em seu lugar verdadeiro. Aliás, duas “coisas”, devidamente enquadradas.
A decisão de Carlos Henrique Borlido Haddad traz esperanças à população de Marabá.
Falta agora, o resto.