Hiroshi Bogéa On line

A Justiça do homens, falha. A de Deus, não!

 

 

Pelo andar da caravana, o ex-deputado Luiz Sefer acabará colocando na cadeia, com a anuência de algumas graduadas representações do judiciário paraense, a garota que lhe imputou prática de crime de pedofilia.

Alguém duvida disso, diante da decisão da Câmara Criminal Isolada do TJ que absolveu o ex-parlamentar da condenação de 21 anos de prisão pelos abusos cometidos contra a menina de nove anos?

Os arrufos do Sefer, numa entrevista coletiva em Belém, conduzem a essa possibilidade.

Ele declarou ter conhecimento de que “a própria menina já revelou ser tudo (os abusos por ele cometidos) uma farsa”, ameaçando processar parlamentares e até a freira Henriqueta Cavalcante, além de uma delegada de polícia. Se o caratonha ficar invocado, pensa!, acaba sobrando pra menina estuprada.

Tonificado com a absolvição do TJ, Sefer canta de galo. Fala até em publicar um livro “sobre esse período” da vida dele, “contando tudo”.

Contar o que, gabiru?

Em verdade, a sociedade paraense passa a conviver com um dos fatos mais indecorosos a que se tem conhecimento, depois que saiu a decisão da CCI.

A conclusão pode ser conferida em qualquer cidade do estado.

A indignação tomou conta do seio familiar, de donas de casas revoltadas com a desprezível absolvição de um crime que teve sua apuração levada ao extremo, com provas e contraprovas, revelações surpreendentes da jovem estuprada.

A absolvição de Luiz Sefer gera desesperança, estimula a sempre revigorada impunidade, além de desconfiança em toda ação de instâncias diversas da Justiça.

Como o livro certamente que Sefer irá escrever deverá estar elevado à categoria de ficção, não custa nada o caratonha contar detalhes de como ele conseguiu o sublime milagre de sua absolvição.

Absolvição patrocinada, na terra, pelos homens -, diante da imaculada reprovação de Deus.

Post de 

2 Comentários

  1. Dario dos Anjos

    12 de outubro de 2011 - 11:19 - 11:19
    Reply

    Acabei de ter uma idéia lendo esse texto. Porque a turma do Sim e do Não, não se unem e façam campanha para separar é esse Estado do resto do país? Aí sim, evitaríamos de passarmos por mais vergonhas desse tipo, é tanta impunidade nesse velho oeste que dá nojo mesmo, é crime atrás de crime, todos impunes, o judiciário desse Estado é uma vergonha, o pior do Brasil, onde promotor atira em mulher, é assassinatos de gente que realmente ama essa terra e luta por ela, é garotinhas servida aos detentos, é a tal lei do mais forte. Vamos separar é o Pará do resto do país, para o bem do Brasil.

  2. Naldo Sacramenta

    12 de outubro de 2011 - 10:52 - 10:52
    Reply

    Caro Hiroshi,

    Esse pedófilo canta de galo porque, segundo corre nos bastidores, os desembargadores tiveram dois milhões de razões pra inocentá-los desse crime hediondo. Mas a sociedade reage com vigor. Na procissão do Círio, aqui em Belém, várias faixas nos prédios pediam proteção da virgem de Nazaré às nossas crianças contra os pedófilos. Já há movimento pressionando o MP a recorrer da decisão e nesta semana os movimentos sociais farão manifestação contra essa aberração da Câmara Criminal do TJE em absolver o ex-deputado. Esse pedófilo não vai ter vida mansa, não.

    Naldo Sacramenta

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *