A impressão que fica…

Publicado em 13 de junho de 2007

… É sempre a primeira. Inda mais quando se entra numa cidade, chegando por rodovia, tendo como cartão de boas vindas o lixo de lado e outro da pista e de ruas. Pega mal, pacas.
Pois é assim que se encontra Redenção. Um caos. Quem não a conhece imagina estar adentrando alguma cidade abandonada por farofeiros festivos. Não existe uma via limpa. O prédio da prefeitura municipal, casa oficial do mandatário-mor do município, é um “piseiro” , como se expressam os mais antigos.
Pelo menos nas vias principais do centro, o asfalto está todo esburacado e não há movimento de máquinas trabalhando nas imediações. Não sei como se encontra o subúrbio.
Deus, responda pela misericordiosa Santíssima Trindade, o que faz o JPC com o dinheiro de Redenção?