À ferro e fogo

A partir de agora, o representante político do Sul do Pará que não assinar um termo de compromisso com a criação do Estado de Carajás será incluído numa “lista negra” a ser veiculada na mídia. Essa é uma das estratégias do novo Comitê Carajás, formado para disseminar a idéia emancipatória pelos cinco pólos idealizados para cooordenar, com unidade de discurso, eventos e movimentos de rua.

O Comitê Central Carajás  elegeu Rui Hildebrando seu presidente executivo, que anda percorrendo as sedes dos polos Carajás, Xingu, Redenção, Rondon e Tucuruí na realização de Fóruns Plebiscitários objetivando a organização de um plebiscito (sem caráter oficial) sobre a criação do proposto Estado, marcado para 6 de setembro próximo.