Hiroshi Bogéa On line

A fala do deputado

Chama a atenção do blog alguns trechos de extensa entrevista do deputado estadual João Salame (PPS), concedida a um periódico de Marabá.

Como a publicação não tem edição digital, impossibuilitando lincar seu conteúdo, segue resumo do que diz o parlamentar:

1- Avaliação popular
Segundo Salame, pesquisa encomendada pelo Palácio dos Despachos, o aponta em 7o lugar em todo o Estado:

Eu, quando me elegi, minha colocação foi 63o lugar, só me elegi por que o coeficiente  do meu partido era pequeno. Na pesquisa que o governo do Estado encomendou, hoje eu  estou em 7o lugar em todo o Estado; nosso trabalho cresceu muito, tenho muitos prefeitos que apóiam e vereadores. Hoje estou com 70 vereadores e 4 prefeitos. Quando fui candidato, tinha um prefeito e dez vereadores.

2- Disputa proporcional

João Salame não descarta disputar cargo majoritário, mas prioriza a reeleição:

Meu partido PPS, em reunião, cogitou que meu nome seria um dos prováveis a concorrer a cargo de vice-governador do estado, não só do PPS, como também de outros partidos aliados – mas estou trabalhando para minha reeleição


3- O sonho não acabou 

 O deputado marabaense quer ser, um dia, prefeito do município:

Tenho, sim, o sonho de ser prefeito de Marabá. Não nasci prefeito, não sei se vou morrer político, se não for da vontade de Deus, volto para a minha profissão para trabalhar com dignidade, garantindo a sobrevivência da minha família, mas se Deus e o povo me derem a oportunidade de ser um dia prefeito, darei o melhor de mim.

4- Gestão Maurino Magalhães

João Salame passa um pente-fino na administração de Maurino Magalhães, desqualificando a atuação do prefeito, mas garante não ter em suas críticas nenhum ressentimento político:

A insatisfação não é do deputado João Salame e sim da grande maioria da população, principalmente dos próprios eleitores dele. Acho que a grande insatisfação é porque o prefeito prometeu demais, tudo ia mudar radicalmente, nada disso aconteceu (…). Não fiquem pensando  que eu torço para ele fazer um mandato ruim, pelo contrário, , a cidade só tem a ganhar se o prefeito acertar o caminho de uma boa administração.

Post de 

10 Comentários

  1. Anonymous

    23 de fevereiro de 2010 - 16:26 - 16:26
    Reply

    Já dizia Ulisses Guimarâes:"política não se mistura com religião. A conduta ideal é a de um governo laico.Quando tentam fazer esta mistura,um comete heresia e o outro não escapa da hipocrisia", trecho do discurso "Política e Partido", 1979, Ediouro, SP.

  2. Anonymous

    22 de fevereiro de 2010 - 18:23 - 18:23
    Reply

    Se alguém aí estiver esperando ver J.Salame de joelhos, cabeça baixa, orando a Deus, pode esquecer. Mas fácil aquele cadáver embalsamado de Lenin no Mausoléu Soviete sair andando, como Jesus fez com Lázaro.Salame não acredita em religião. Direito dele ser assim.O pacebão já dizia em suas tertúlias vermelhas: "religião é o ópio do povo".

  3. Anonymous

    20 de fevereiro de 2010 - 00:25 - 0:25
    Reply

    Eu já ví o Salame na igrejinha de S.Félix. Estava nos braços da D. Creuza, era pequenino ainda.Depois, mais jovem, na missa de D.Alano, pelo sétimo dia da morte do Gabriel Pimenta. Na catedral, lá nos bancos detrás, contrito, assistindo a missa de corpo presente do Veloso.Bem,acho que é só..

  4. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 - 20:59 - 20:59
    Reply

    Ouvi o pastor sobre Salame. Ele pregou:"filho, é exatamente os ímpios, os incréus, os pecadores que desejamos ver no átrio de nossos templos.A conversão de um ateu é como reger um coro de serafins. Hosana nas alturas, aleluia, se vimos o deputado num culto. Breve, receberá as águas do batismo, e os querubins exaltarão.Amém".

  5. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 - 20:57 - 20:57
    Reply

    Ouvi o pastor sobre Salame. Ele pregou:"filho, é exatamente os ímpios, os incréus, os pecadores que desejamos ver no átrio de nossos templos.A conversão de um ateu é como reger um coro de serafins. Hosana nas alturas, aleluia, se vimos o deputado num culto. Breve, receberá as águas do batismo, e os querubins exaltarão.Amém".

  6. Anonymous

    19 de fevereiro de 2010 - 14:15 - 14:15
    Reply

    Frequentar cultos evangélicos, na ótica do político agnóstico e pragmático, como é J.Salame,faz parte de sua agenda oculta e pública. Na oculta,ele sabe que lá os crentes são fiéis ao que determina o pastor.Por isso ele vai lá. Não ora nem prega. Na pública,fica a aparência de um político ecumênico.Aliás, não vimos, ainda, J.Salame frequentar o culto católico. Na macumba ele já foi visto. Na Assembléia de Deus ele vai, porque Bia é crente como suas irmãs e mãe.

  7. Anonymous

    18 de fevereiro de 2010 - 17:01 - 17:01
    Reply

    Comunistas de verdade,existiram pouquíssimos na terra Brasil,agnósticos até mais talvez,mas desprovidos 100% de apego à bens materiais como mandava a doutrina(já foi pro lixo à algum tempo)isso conta-se nodedos de uma mão.Muito dinheiro,apartamentos,carros,iates luxuosos ninguém resiste.Um grande exemplo é o velhote(incomparável arquiteto)Niemeyer,faz projetos gigantescos de graça para governos europeus(Espanha ,França,etc)p/manter a onda de comuna,e qualquer projeto aqui no Br, 15 a 20 milhões.Comunismo: muita conversa,mentiras,histórias,filmes de fraca bilheteria,nada mais que isso.

  8. Anonymous

    18 de fevereiro de 2010 - 02:30 - 2:30
    Reply

    Vivas ao Santo Salame.
    Ele já combinou com os russos?

  9. Anonymous

    17 de fevereiro de 2010 - 22:32 - 22:32
    Reply

    Companheiro, em vésperas de eleição esse pessoal pra se reeleger, dorme até com o demo. Se assuste não. Outro dia o deputado estava num culto.

    O voto do crente e do descrente, pra ele tanto faz, desde que some no quoeficiente que precisa para continuar na AL.

  10. Anonymous

    17 de fevereiro de 2010 - 22:03 - 22:03
    Reply

    Esse papo do comunista João Salame ficar pronunciando o nome de Deus em vão, é lamentável. Ele deve, isso sim, manter a sua postura de agnóstico, conforme já declarou quando perguntado se acreditava na existência divina judaico cristã.Ideologicamente e, de acordo com a doutrina marxista socialista que defende, a questão religiosa, seja qual for, segundo a dialética que o doutrinou e na qual ele acredita,melhor naõ ficar por aí dizendo "graças a Deus", "se Deus quizer", "Deus é quem sabe", etc..

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *