A classe pobre vai ao paraíso

Publicado em 6 de abril de 2010

A classe C ampliou sua participação para 49% da população brasileira em 2009, ano marcado pela crise financeira global, ante 45% no ano anterior. Já as classes A/B subiram de 15% para 16%, enquanto as D/E caíram de 40% para 35% do total, de acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Cetelem, financeira do grupo francês BNP Paribas, em conjunto com a Ipsos.

Nos últimos cinco anos, a classe C ganhou 30,2 milhões de consumidores. Já os segmentos D/E perderam 26,1 milhões.

Entre 2008 e 2009, a renda familiar média mensal caiu nas classes A e B de R$ 2.586 para R$ 2.533, mas subiu na C (de R$ 1.201 para R$ 1.276) e nas D/E (de R$ 650 para R$ 733).

Mais dados.

——————–

atualização às 16:00

A renda média das famílias brasileiras em 2009 alcançou o recorde de R$ 1.285,00. A conclusão é da pesquisa Observador Brasil 2010, feita pela Cetelem (financeira do grupo francês BNP Paribas) e pelo instituto de pesquisa Ipsos.

Leia mais.