“A cidade desidratou”

Publicado em 31 de janeiro de 2013

 

 

Texto extraído do perfil do empresário  Ítalo  Ipojucan, no Facebook:

——

 

Para quem ainda acreditava em ALPA, últimos movimentos da gigante Vale dá indícios de que seus projetos em siderurgia estão revistos, coisa do passado.

Eu, que tanto acreditei e defendi essa implantação, tenho que admitir, diante das evidências, por óbvio, um sonho de verão, quente… lascado… 45 graus… à sombra.

A cidade desidratou.

Agora me peguei agarrado na Hidrovia. É, pensava, a hidrovia é o projeto maior. Uma janela mais ampla a pavimentar o caminho do desenvolvimento regional – entretanto, por tudo que ouvi, participei e vi, já tenho reservas ao real interesse na realização dessa obra.

De tanto tentar demonstrar essa importância, já fizemos picada na mata no caminho de Brasília e da capital do estado. Já bradamos e imploramos uma reação da bancada paraense no congresso e…nada. 

No trato com os grandes projetos e sua internalização de recursos e oportunidades, estamos na mesma toada. Sem amparo político em defesa dos projetos regionais, os parcos espaços ainda ocupados estão se esvaindo…escapando, por entre os dedos. 

Abandonados, sem pai, padrasto nem mãe – órfãos – seguem sem rumo, os projetos e seus irmãos, o povo. 

Ainda assim, tem foco de resistência ativa. Poucos e bravos soldados dessa causa permanecem na luta, em que pese a estranha falta de mobilização do Estado, registrada pela CDP em recente documento encaminhado à Assembleia Legislativa, onde se diz perplexa com essa reação, provocada que foi pela própria casa. 

Documento que retrata na íntegra esse comentário, esta de posse da Associação Comercial para acesso e conhecimento de interessados.É extensa e retrata a preocupação do órgão com conclusão dessa obra.

Em matéria recente sobre o tema, escrevi, ” em busca de aliados”, conclamando a sociedade civil e política a unirem esforços nessa luta.

O perfil de um grande aliado se destaca agora com o novo alcaide municipal. Com formação forjada no calor dos grandes embates em defesa dos propósitos sociais, certamente um singular e estratégico aliado nessa busca.

A seguir, acompanhem a última publicação da REUTERS e tirem suas conclusões. 

 

————-
Vale quer diminuir participação de 50% em siderúrgica no Ceará 

DA REUTERS 

A mineradora Vale planeja diminuir a sua participação de 50% no projeto siderúrgico de Pecém (Ceará), no qual é parceira das coreanas Posco e Dongkuk, disse nesta terça-feira o diretor financeiro da companhia, Luciano Siani, durante evento com investidores no Rio. 

Segundo Siani, a companhia está racionalizando investimento em pesquisa e desenvolvimento. 

“Não faz sentido gastar mais que o necessário para criar novas oportunidades”, disse ele ao explicar a intenção da companhia. 

Ele não mencionou qual seria a participação futura da Vale no projeto. 

A Vale anunciou no final do ano passado que pretende investir US$ 16,3 bilhões no próximo ano, 24% a menos que o plano anunciado para 2012, num momento em que a mineradora vê perspectivas de uma demanda apenas “moderada” por minério e metais. 
A usina do Ceará, com capacidade de produzir 3 milhões de toneladas de aço por ano, tem previsão de entrar em operação em meados de 2015.