Hiroshi Bogéa On line

A China é aqui?

Do engenheiro Dário Veloso o blog recebe artigo sobre o crescimento da região Sul do Estado o qual é reproduzido a seguir:

A China no Brasil?
Por Dário Veloso
Em sua ultima estada em Maraba-CA (de CArajas), o Ex-Ministro de Planejamento do Governo do então Presidente Fernando Henrique Cardoso, Sr Paulo Haddad afirmou que, através de seus estudos sobre o Brasil, 4 regiões brasileiras irão se desenvolver, ate mais, que a China. Ele enumerou as seguintes regiões:

1-A Bacia de Santos-SP (devido os incrementos de investimentos em hidrocarbonetos da bacia do Pre-Sal)

2-O Quadrilátero Ferrífero que é a região ao redor da grande Belo Horizonte-MG devido a novas minas descobertas, novas tecnologias de extração de antigas minas e a verticalização mineral

3-A região central do Estado de Mato Grosso, notadamente no entorno das cidades de Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop devido a fronteira agrícola do cerrado através do aumento de produtividade da agricultura (soja e outros grãos ) e a sua verticalizacao industrial

4-A região Sul-Sudeste do ainda Estado do Para (região do futuro e breve Estado de Carajás) devido a exploração mineral, verticalização de seu potencial mineral e verticalização da cadeia produtiva do gado de corte.

Desta forma, seremos uma das locomotivas do Brasil. Puxaremos índices de emprego e renda para cima. Estaremos no fogo cruzado de novos investimentos que , a reboque da verticalização mineral, vai migrar para a nossa região.Claro que teremos, no meio de todo esse BONUS, uma parcela de ONUS.

A questão que segue: Será que os municípios de nossa região , através de suas respectivas prefeituras e entidades associativas, estão se preparando para essa avalanche de acontecimentos? Existe articulação regional para minimizar os impactos negativos e maximizar os efeitos positivos? Fico assustado quando vejo a propaganda oficial falar em criação de 12 (doze) mil empregos diretos e fora tantos mil indiretos…

Por melhores que sejam as intenções e os planos existe um grande hiato entre a intenção e a ação. Há uma inércia gigantesca para fazer andar um grande projeto como esses que se avizinham de nossa região. É importante que nossas autoridades tenham muito cuidado com a manipulação de números exorbitantes de criação de emprego como isso fosse , por si só, curar todos os males de desequilíbrios sociais vigentes em nossa região. Esse empreendimento (ALPA) não será o Elixir Universal para curar todos os nossos males históricos. Há de se ampliar o debate e que o mesmo seja proativo.

Há entidades e associações legitimamente preocupadas nos efeitos desses investimentos e estão tentando estabelecer diagnósticos e estudos sólidos para que nosso crescimento CHINES possa nos trazer muito mais vantagens do que desvantagens.

Solicito as nossas autoridades políticas, empresariais e comunitárias que possamos nos irmanar nesse momento. Que possamos estudar as situações e opções a partir de agora de forma a garantir um futuro muito melhor para nossos descendentes. Nosso passado nos ensinou que o que exploramos de forma desordenada,predatória e sem preocupação com o amanha (caucho,madeira,ouro) nos deixou mais mazelas sociais do que soluções. Nosso crescimento econômico deve vir atrelado ao nosso Desenvolvimento Social. Dessa forma , e somente dessa forma , teremos ,sim, um verdadeiro negocio da China para todos de nossa região.
Post de 

1 Comentário

  1. Anonymous

    21 de maio de 2010 - 11:52 - 11:52
    Reply

    Gostaria de uma explicação, de preferência do MP, pois se a esposa do prefeito de Marabá exerce a chefia de uma secretaria do Município, e é devidamente remunerada por isso, não é crime de NEPOTISMO?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *